Turismo durante a pandemia: é seguro viajar de avião?

Turismo durante a pandemia é seguro viajar de avião_BLOG

Filtragem de ar e exigência de certificados de vacinação reduzem os riscos de contágio no voo, mas é necessário redobrar os cuidados em todas as etapas quando vai viajar de avião

Viajar de avião: um espaço fechado, reduzido, com várias pessoas sentadas perto umas das outas, sem distanciamento. Pode parecer o ambiente perfeito para a circulação do novo Coronavírus e, consequentemente, uma contaminação em grupo, certo? Não! Pelo contrário, as hipóteses de infecção são relativamente inferiores.

Inúmeras medidas de proteção, incluindo a exigência de certificados de vacinação e testes, o uso de máscaras durante o voo e desinfecção mais frequente, juntamente com os sistemas de fluxo de ar do avião, resultam num risco menor de transmissão do vírus durante a viagem de avião.

De acordo com a Associação Internacional de Transportes Aéreos (IATA), a qualidade do ar fornecido a bordo de um avião é muito melhor do que a maioria dos ambientes internos, como escritórios. Além disso, já reparou que os passageiros estão virados para a mesma direção? Os bancos funcionam como barreiras. O fluxo de ar é de cima para baixo, sendo renovado 20 a 30 vezes por hora, o que também é um benefício.

Apesar da melhoria no cenário da pandemia, as variantes do coronavírus, por exemplo da atual Ómicron, podem não só exigir novamente medidas sanitárias mais rígidas, como também provocar alterações e restrições de viagem da noite para o dia. Por isso ainda são necessários vários cuidados quando viajar de avião.

O que fazer antes de Viajar de Avião?

Antes de viajar, verifique os diferentes requisitos das companhias aéreas e documentos necessários, principalmente, se o seu voo for internacional. Pode haver exigências e restrições, como testes e quarentena. Lembre-se de que estas regras podem aplicar-se tanto à entrada e permanência em outros países, assim como ao regresso ao seu país de origem.

Evite viajar para sítios com elevado risco de infeção, opte por voos mais curtos e com menos transbordos. Sobretudo, se não se sentir bem, o melhor a fazer é procurar ajuda médica e adiar a viagem.

Ao fazer as malas lembre-se de escolher máscaras para uso prolongado ou levar uma quantidade maior, considerando transporte, aeroporto e voo. Principalmente no caso de optar por máscaras descartáveis. Estas devem ser trocadas com maior frequência e descartadas.

As máscaras podem limitar a propagação de gotículas quando respira, fala, tosse ou espirra. Elas protegem quem as usa e quem está à sua volta, mesmo no caso de se tratar de um assintomático.

Desde o aeroporto, tenha consigo pelo menos um frasco pequeno de álcool em gel, lembrando-se sempre de seguir as regras de segurança dos aeroportos. As companhias aéreas limpam a cabine entre os voos, mas todos podemos fazer a nossa própria limpeza, com toalhitas húmidas, por exemplo.

Enquanto estiver no avião mantenha as mãos higienizadas e use máscara. Voos mais longos, com serviços de bordo (como refeições), implicam que retire a máscara e que, consequentemente, esteja mais exposto. Portanto, reduza esse tempo ao máximo possível.

Certificado Digital COVID-19

Desde julho de 2021 que está em vigor na União Europeia o regulamento relativo ao Certificado Digital COVID, que funciona como uma prova de que a pessoa foi vacinada contra o vírus, recebeu um resultado de teste negativo recentemente ou recuperou da COVID-19.

O certificado digital ou impresso, está disponível em inglês e na língua nacional. Inclui um código QR, com uma assinatura digital para verificação de segurança. Cada organismo emissor (por exemplo, hospital, centro de testagem, autoridade de saúde) tem a sua própria chave de assinatura digital. Todas estas chaves estão registadas numa base de dados segura em cada país.

O documento tem a função de facilitar a livre circulação dentro da UE, mas não é uma condição prévia para essa circulação. O cidadão sem certificado, pode, no entanto, ser sujeito a restrições, como testes ou quarentena. Para saber mais sobre as exigências de cada Estados-Membros consulte website neste link.

Destinos mais Seguros

Portugal foi o primeiro país a disponibilizar o Selo Europeu de Segurança COVID-19 (European Tourism Covid-19 Safety Seal), complementando o selo “Clean & Safe”. O selo é um documento voluntário desenvolvido pelo Comité Europeu para a Normalização, em parceria com a Comissão Europeia. Apresenta requisitos e recomendações sanitárias para organizações turísticas que desejem reabrir e funcionar com segurança.

O documento está alinhado com os atuais protocolos de saúde e segurança nacionais e de vários países europeus e está em acordo com à Especificação Internacional ISO/PAS 5643 de 2021.

No site Re-open EU, é possível consultar quais os destinos mais seguros relativamente às taxas de contágio da COVID-19. Também estão disponíveis as condições e restrições de entrada, circulação e permanência nos Estados-Membros, além de informações turísticas e de prevenção à COVID-19. No portal do SNS 24 é possível consultar informações e exigências, constantemente atualizadas, sobre prevenção e circulação de viajantes especificamente para Portugal.

Restrições:

Grávidas

A pandemia não alterou regras para grávidas, mas é sempre importante estar atento a todos os documentos necessários para viagens. As regras variam de acordo com a companhia aérea, mas em geral as grávidas podem viajar normalmente até às 27-36 semanas, tanto para destinos nacionais quanto internacionais.

Animais de Estimação

Nem todas as companhias aéreas permitem o transporte, com exceção de cães-guia. Quando é permitido, os critérios envolvem tamanho, peso, espécie e raça. O mais comum é que animais de pequeno porte ou cães-guia viajem na cabine. Por outro lado, cães de médio ou grande porte são transportados no compartimento de carga, no porão.

Além disso, para viajar dentro da União Europeia é necessário apresentar Passaporte de Animal de Companhia da União Europeia, emitido por um médico veterinário autorizado. Isto, comprovando a vacinação válida contra a raiva e um microchip ou uma tatuagem de identificação legível. Os documentos podem variar de acordo com o país, por isso consulte as autoridades oficiais ou a Direção Geral de Alimentação e Veterinária antes de embarcar com o seu animal de estimação.

Em suma:

Viajar de avião tem tudo para ser uma boa experiência, basta seguir as recomendações das autoridades competentes. Planeie tudo com cuidado, verifique cada uma das exigências, documentos e medidas de proteção.

Lista completa? Então boa viagem!

[artigo atualizado a: 2 de dezembro, de 2021]

Compartilhe este conteúdo:

Publicações Relacionadas