Purificador de ar: É de facto, eficaz?

Purificador de ar: É de facto, eficaz?

Se já pensou adquirir um purificador de ar, mas ainda se interroga sobre o grau de eficácia destes aparelhos, saiba que eles têm de facto muitas vantagens, que justificam valer a pena levar um para a sua casa…

A vida ao ar livre pode ser o sonho de muitos, mas a realidade é que a maioria das pessoas passa boa parte da vida dentro de edifícios, sejam eles residências ou espaços comerciais. Atualmente, com as restrições de circulação por conta da pandemia de COVID-19 e, consequentemente, a orientação para permanecermos em casa, ficou ainda mais evidente a necessidade de usufruir de um espaço confortável e seguro. Por isso, vale a pena perguntar: os locais onde passa mais horas por dia estão a ajudar ou a prejudicar a sua saúde?

A importância da qualidade do ar

Um dos fatores essenciais para o bem-estar em ambientes internos é a qualidade do ar. Segundo a Direção-Geral da Saúde, a exposição diária aos poluentes atmosféricos resulta em grande parte da inalação do ar interior, não só pelo tempo que é passado dentro dos edifícios, mas também porque os níveis de poluição nos espaços internos são geralmente muito elevados.

Isto significa que enquanto a população se preocupa apenas com a poluição do ar externo, facilmente percebida em grandes centros urbanos, acaba por esquecer (ou não saber) que a poluição do ar interno também pode ter efeitos prejudiciais à saúde.

Os estudos da Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos sobre a exposição humana aos poluentes atmosféricos indicam que os níveis internos de poluentes podem ser até 5 vezes mais altos do que os externos – ocasionalmente, até mesmo mais de 100 vezes.

A origem dos poluentes internos

Alguns dos poluentes internos têm origem no ambiente externo, enquanto outros têm origem interna, com base em situações quotidianas, como as tarefas de limpar a casa e cozinhar, ou ainda decorrentes de materiais de construção, do fumo do tabaco, ou até de móveis.

Esses poluentes podem estar presentes no ambiente na forma de gases, vapores e partículas. Como exemplo podemos citar contaminantes comuns que existem nas nossas casas, como o formaldeído, mofos e pólenes.

Para eliminar esses poluentes melhor é reduzir ou remover as fontes que os originam e ventilar o espaço com ar externo limpo. Há também uma opção bastante eficaz que é a filtração, um mecanismo útil para suplementar tanto o controle da fonte dos poluentes quanto a ventilação. Se já possui um sistema AVAC – Aquecimento, Ventilação e Ar Condicionado, é importante trocar periodicamente os filtros ou utilizar um purificador de ar portátil, que reduzirá a exposição aos poluentes, de forma a melhorar a qualidade do ar interno.

Existem duas categorias básicas de purificadores de ar:

  • 2 – Filtros de AVAC / calefação ou purificadores de ar montados em dutos.

Os modelos portáteis geralmente são projetados para limpar o ar em espaços como uma sala, um quarto ou escritório de dimensões medianas. Esses purificadores podem ser unidades pequenas ou maiores e geralmente podem ser movidos. Já os filtros de calefação e outros filtros de ar montados em dutos são instalados no sistema AVAC central de uma casa e podem fornecer ar filtrado ou limpo a muitas dependências da casa em simultâneo, desde que o ventilador do sistema esteja a funcionar.

Quais as vantagens de um purificador de ar?

São vários os benefícios de adquirir um purificador de ar. As diferentes tecnologias que podem existir nestes aparelhos têm um objetivo comum: reduzir ou eliminar a exposição a contaminantes presentes no ar como:

  • Esporos de fungos
  • Bactérias
  • Pólenes e outros poluentes

Alguns purificadores de ar também podem ser aliados na remoção de odores do ambiente.

Vários estudos sobre purificadores de ar portáteis, com filtros HEPA, demonstraram pequenas melhorias na saúde cardiovascular e respiratória. Os filtros HEPA são aqueles que possuem tecnologia com alta eficiência na retenção de partículas.

E ainda que nem sempre se consiga perceber, desde logo, as mudanças positivas que vão acontecendo, os profissionais de saúde têm capacidade para as identificar. No caso de pessoas com alergias respiratórias ou asma essa melhoria pode ser ainda mais clara, já que a presença de um destes aparelhos nos quartos de dormir, por exemplo, pode reduzir alguns dos sintomas recorrentes dessas condições.

Tipos de purificadores de ar portáteis

Basicamente, os purificadores de ar portáteis possuem uma tecnologia específica para a limpeza do ar em ambientes internos e, em alguns casos, ventiladores para impulsionar o ar através do purificador.

Também podem existir outras tecnologias com foco em diferentes funções, como carvão ativado para a redução de odores, ou outras que auxiliem na remoção/inativação de poluentes. Algumas dessas tecnologias são direcionadas para:

  • Gases (oxidação catalítica, plasma e geração intencional de ozono, etc.);
  • Partículas (precipitação eletrostática, ionizadores, filtros, como o HEPA, etc.);
  • Ou ainda microrganismos (irradiação ultravioleta, etc).

Tecnologia patenteada TSS

Os purificadores de ar portáteis da Airfree utilizam uma tecnologia diferente e de topo (Sistema de Esterilização Termo-dinâmica – TSS), que não necessita de filtros.

Através deste sistema o ar é puxado para o interior do aparelho, sendo aí, no seu núcleo cerâmico, esterilizado a temperaturas próximas dos 200ºC.

Assim, pelo calor, os microrganismos (como bactérias, fungos e vírus) e seus alérgenos, bem como alérgenos de ácaros, pólenes e animais domésticos, são eliminados. No final do processo o ar é arrefecido e libertado de volta ao ambiente.

Mas acrescente-se que essas altas temperaturas não aquecem o exterior dos aparelhos ou o espaço em que se encontram.

A ter em atenção…

Entretanto, ao utilizar um purificador de ar portátil é importante considerar que o bom funcionamento deste aparelho dependerá de vários fatores, tais como:

  • O seu uso conforme as instruções do fabricante;
  • O fluxo de ar que circula através do aparelho;
  • A proximidade do aparelho em relação às fontes poluidoras e aos ocupantes do espaço;
  • A troca periódica dos filtros, quando utilizados. No caso da Airfree, por exemplo, a sua tecnologia otimiza o funcionamento dos aparelhos, já que não têm filtros e, assim, não necessitam de manutenção;
  • E a eficiência na remoção fracionada de um determinado poluente.

Além disso, fica o conselho para evitar a utilização, em casa, de purificadores que gerem ozono, pois este gaz é perigoso para a saúde e aumenta os níveis de poluição do ambiente. 

Os Purificadores de ar e a COVID-19

Segundo a Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos, quando usados corretamente os purificadores de ar podem ajudar a reduzir os contaminantes transportados pelo ar. Mas  atenção: o purificador de ar ou a filtração não serão suficientes, por si sós, para proteger da exposição ao SARS-CoV-2.

Contudo, enquanto medida a inserir num conjunto de outras práticas de segurança recomendadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS), essa filtração pode ser uma aliada para reduzir o potencial de transmissão aérea da COVID-19.

banner-airfree-pt