Pó Doméstico. Livre a sua casa deste poluente!

Pó Doméstico. Livre a sua casa deste poluente!

Saiba como evitar crises alérgicas. As nossas ‘dicas’ vão ajudá-lo a reduzir o pó doméstico, não apenas nos quartos de dormir como também em divisões onde passa mais tempo. E sem dúvida que são ‘dicas’ aplicáveis a escritórios!

Manter uma casa limpa não é tarefa simples. Acima de tudo, se vive com crianças ou adultos alérgicos a limpeza deve ser exemplar e constante, devido à sua sensibilidade. Nestes casos, passar o dedo nalgum móvel e perceber uma camada cinza de pó significa que a higienização precisa começar de imediato!

Antes de tudo, o pó doméstico é uma mistura muito complexa e heterogénea, composta por materiais orgânicos e biológicos. O pó da sua casa é, geralmente, formado por cerca de 50% de células da pele morta. O restante, presente em qualquer ambiente humano, é formado por pequenas quantidades de pólen, cabelos e pelo de animais, esporos de fungos, ácaros e fibras orgânicas, assim como materiais inorgânicos (por exemplo, fibras têxteis).

A este acumular de substâncias, chamamos muitas vezes de simples sujidade. De fato esta ‘sujidade’ varia bastante, tanto de casa para casa, como de divisão para divisão. Ou seja, possui várias formas e porosidade, podendo ter fontes tanto internas como externas.

Como é que o pó entra nas nossas casas

A quantidade e composição do pó nos ambientes depende da deposição das partículas transportadas pelo ar, da deslocação das pessoas do ambiente externo para o interno, e da movimentação dentro da própria casa.

Fatores ambientais, como os materiais de construção da residência, a quantidade de móveis e carpetes e, ainda, o seu estado de preservação, têm impacto nessa variante. O mesmo acontece quanto à ventilação, sistema de aquecimento, hábitos de limpeza e mesmo a atividade dos ocupantes.

O pó do exterior pode ser trazido para dentro das nossas casas de várias formas. Seja nos sapatos e roupas, assim como pelo ar – através de portas e janelas abertas.

Alguns estudos indicam que as partículas trazidas para dentro de uma residência, tanto pela entrada de material particulado, como pelo trânsito de pessoas, representam 60% da massa de partículas no chão.

Alergias e Pó Doméstico

No pó doméstico existem muitos contaminantes que podem causar alergias (alérgenos). São emitidos por fungos, bactérias, pólen e ácaros. De facto, as estatísticas mostram que mais de 50% das pessoas que têm asma apresentam alergia aos ácaros do pó, e pelo menos 1% a 2% da população global pode ser-lhes alérgica.

Os animais de estimação carregam grande quantidade de pó doméstico, contendo não apenas ácaros, mas bactérias, fungos, grãos de pólen e outros materiais. O fumo do cigarro também é um potencial alergénico, pelo que se recomenda não fumar e evitar dividir espaços com fumadores.

Melhor limpeza e com mais frequência

Se é alérgico, este é um conselho importante: deve limpar a sua casa com maior frequência e ter atenção a problemas estruturais (para eliminá-los), que resultem de um aumento da humidade, tais como vazamentos, infiltrações e falta de ventilação.

O controlo da humidade ou temperatura também pode ser útil na redução dos fungos e ácaros, sendo recomendado ventilar diariamente os ambientes. De facto, os ácaros proliferam em ambientes quentes e húmidos onde existam humanos (alimentam-se de pele morta), preferindo as camas e os tapetes das casas. Por este motivo, a mudança frequente da roupa de cama é fundamental, mas se puder evitar ter tapetes e carpetes melhor.

E para os alérgicos ao pólen deixamos mais uma dica. Evite abrir as janelas nos dias e horários em que o registo polínico indica alta contagem do mesmo.

Adeus Pó Doméstico!

Além de reduzir a presença de alérgenos no ambiente é essencial que faça a limpeza adequada da sua casa, para dizer “adeus” ao pó doméstico. Evite o uso da vassoura, espanador ou pano do pó seco, desta forma estará a evitar também que o pó da sua casa se espalhe pelo ar.

Para os alérgicos, o ideal é que a limpeza seja feita com aspiradores de alta eficiência, de preferência com filtros HEPA (High-efficiency particulate arrestance). Este tipo de filtro é capaz de reter mais de 99% das partículas menores do que 0,3 micrómetros.

Geralmente os aspiradores comuns são capazes de reter apenas partículas maiores e podem ser responsáveis por ressuspender os alérgenos, ou seja, enviá-los para o ar. Uma aspiração eficiente é de grande importância, pois os ácaros mortos e as suas estruturas são fontes de alérgenos.

Entre a ‘simplicidade’ e a tecnologia

E para aqueles que preferem a simplicidade na limpeza da casa, um pano húmido removerá o pó doméstico, sem que ele seja ressuspendido. Já para quem procura uma alternativa mais tecnológica, os aparelhos de limpeza a vapor são uma boa opção, sobretudo quando se é alérgico. Este tipo de equipamento não ressuspende a poeira ao removê-la e, devido à sua alta temperatura, tende a matar ácaros e microrganismos. Mas há que ter cuidado ao utilizá-lo, pois a alta temperatura pode causar acidentes, tanto em certas superfícies como nas pessoas.

No entanto, é impossível livrar-se totalmente do pó, principalmente das pequenas partículas que pairam no ar e que não vemos. A simples deslocação pela casa perturba o pó depositado nas superfícies e no chão.
Existem sempre partículas no ar, que transportam contaminantes – bactérias, fungos, vírus e alergénios – que entram no nosso sistema respiratório e provocam as alergias e outras doenças graves.
Desta forma, um purificador de ar é uma excelente forma de complementar uma boa limpeza e as recomendações mencionadas.

O Airfree não remove o pó mas transforma as partículas presentes no ar em agentes inofensivos, através do processo de desnaturação. Além do que os purificadores de ar Airfree são simples, seguros, económicos e não necessitam de manutenção.

Em síntese, tudo em prol da redução do pó doméstico. Sem dúvida que será um alívio não apenas para o sistema respiratório, mas também para o bem-estar e satisfação de viver num ambiente limpo.

banner-airfree-pt