Desconfinamento: Como fazê-lo de forma segura?

Desconfinamento: Como fazê-lo de forma segura?

Enquanto o país avança no plano de desconfinamento, a população deve continuar com o distanciamento social e uso de máscaras.

Desde o início de abril que Portugal deu um novo passo no plano de desconfinamento. O ajuste de algumas restrições e abertura de mais estabelecimentos foram decisões tomadas após o governo entender que a incidência e o ritmo de transmissão da COVID-19 se mantiveram dentro dos critérios para avançar com o desconfinamento. Segundo o primeiro-ministro português, as medidas da reabertura serão revistas sempre que o país ultrapassar 120 novos casos por dia, por 100 mil habitantes, a 14 dias, ou sempre que o índice de transmissibilidade (Rt) superar o 1.

O confinamento social tem como objetivo diminuir a propagação da COVID-19, através de medidas que promovam a redução de contatos sociais ao estritamente necessário. Para desconfinar com segurança é importante que todos sigam as recomendações de prevenção e minimizem o risco de transmissão.

Conheça as fases do desconfinamento

O Governo estabeleceu um plano de desconfinamento dividido em quatro fases e com um período de 15 dias de intervalo entre cada uma, com a finalidade de avaliar o impacto das medidas. O plano teve início dia 15 de março e terá a última fase a partir de 3 de maio. Para que entenda melhor, a ideia é que o desconfinamento seja gradual. Desta forma será possível avaliar as consequências da circulação de pessoas e seu impacto na transmissão da COVID-19.

Após uma nova avaliação, o Governo renovou o Estado de Emergência (em vigor a partir do dia 16 de abril) e determinou o prosseguimento do plano de desconfinamento em Portugal. Ou seja, os concelhos que tiverem risco de transmissão considerado elevado terão de se manter na fase em que estão ou terão de recuar para uma fase anterior. Enquanto os restantes concelhos, com baixo risco de transmissão, continuam a avançar de fase. Para mais informações consulte: Estamos ON.

Continua a ser importante evitar aglomerações, respeitar um distanciamento de pelo menos 2 metros e usar máscara sempre que sair de casa. Aliás, em vários locais o uso da máscara é obrigatório para adultos e crianças acima dos 10 anos.

Não se esqueça que mesmo com o avanço do desconfinamento, recomenda-se dar preferência ao teletrabalho sempre que possível. Se é o seu caso, fique em casa!

Saiba o que volta a abrir nos concelhos que avançaram de fase

Desde o dia 19 de abril já pode frequentar restaurantes, pastelarias e cafés. No entanto, existem regras: são permitidos apenas grupos de 4 pessoas por mesa, em interiores, e de 6, em esplanadas. São permitidos alguns eventos, com as devidas restrições. Estará autorizada a venda de roupa e outros bens não essenciais, em hipermercados e lojas de rua. Pode também regressar ao ginásio, mas ainda sem permissão para aulas de grupo. Do mesmo modo, pode praticar modalidades desportivas de baixo e médio risco.

Em março, cabeleireiros, manicuras e similares já abriram as portas a clientes, mediante marcação prévia. Também neste mês começou a poder frequentar livremente parques, jardins, espaços verdes e de lazer, como bibliotecas, livrarias e lojas de suporte musical.

Se tem filhos ou convive com crianças este é um ponto importante. Em relação às escolas: desde o começo da segunda quinzena de março que as crianças das creches, alunos do ensino pré-escolar e do 1.º ciclo regressaram à sua rotina. Estudantes do ensino secundário e do superior puderam retornar a partir de 19 de abril. Os alunos considerados doentes de risco podem dispor de condições especiais de avaliação e de assiduidade, além de apoio educativo individual na escola ou em casa, de forma presencial ou à distância, com a utilização de computadores, telemóveis e outros aparelhos informáticos.

Saiba que com a reavaliação do plano de desconfinamento, o regresso presencial às aulas, do ensino secundário e superior, mantém-se em Portugal Continental. Isto aplica-se também aos concelhos que se mantiveram na fase em que estão ou para aqueles que recuaram de fase.

O que continua a não poder fazer?

Agora já pode circular entre concelhos no continente português, mas a fronteira terrestre entre Portugal e Espanha continua encerrada. Da mesma forma, o tráfego aéreo continua com certas restrições para alguns países — por exemplo, o Brasil e Reino Unido. Como já referimos, ainda existem restrições em esplanadas, restaurantes, cafés e pastelarias. Do mesmo modo, ainda não poderá participar em aulas de grupo nos ginásios, nem praticar modalidades desportivas de alto risco. Se o desconfinamento correr bem, a expectativa é que estas e outras restrições durem apenas até dia 2 de maio.

Quais os cuidados que precisa de continuar a ter!

É muito importante que continue a cumprir as 5 medidas de prevenção! Mesmo apesar de já existir vacina para esta doença – e mais de 1,5 milhão de portugueses terem recebido pelo menos a primeira dose da vacina.

  • distanciamento entre pessoas: mantenha a distância de pelo menos 2 metros;
  • cumpra a regra da utilização obrigatória da máscara em espaços como:
    • estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços;
    • serviços e edifícios de atendimento ao público;
    • estabelecimentos de ensino e creches;
    • transportes públicos;
    • espaços e vias públicas, principalmente quando o distanciamento físico recomendado pelas autoridades de saúde não possa ser garantido.
  • higiene pessoal: lave frequentemente das mãos e pratique a etiqueta respiratória;
  • higiene ambiental: sempre que possível, limpe e desinfete superfícies, objetos e outros locais com que tiver contato regular;
  • mantenha-se atento aos seus sintomas: caso tenha tosse, febre, perda do olfato ou paladar, dificuldade respiratória, deve isolar-se de outras pessoas e ligar para o SNS 24 – 808 24 24 24

Além disso, tenha em mente que a viseira não substitui a máscara, no entanto pode usá-la como complemento. Assim sendo, mantenha a sua máscara bem ajustada ao rosto, cobrindo completamente a boca e o nariz. Mantenha-se protegido e garanta que o método de barreira é eficaz, de forma a proteger-se de gotículas que possam ser expelidas através de espirros, tosse ou fala.

O avanço do desconfinamento é uma boa notícia para a população portuguesa, mas deve encará-lo com seriedade e atenção. Siga as orientações de prevenção e cuide-se para conseguir aproveitar a flexibilização sem riscos para si, para os seus familiares e pessoas mais próximas.

banner-airfree-pt