Dor de Cabeça Constante. Quando devemos preocupar-nos

Dor de Cabeça Constante. Quando devemos preocupar-nos

Quando a dor de cabeça se repete constantemente deve ficar atento e tentar descobrir as suas causas, para poder aliviá-la de forma mais eficaz.

Dor de cabeça ou cefaleia são termos genéricos que usamos para descrever qualquer dor que surja na região da cabeça.

É um desconforto que atinge milhões de pessoas diariamente, provavelmente a si, e que passamos a considerar comum. Provavelmente conhece alguém que tem sempre à mão um remédio para a dor de cabeça.

Não devemos encarar a dor de cabeça constante como um incómodo natural. Esta representa, na verdade, um distúrbio subestimado, pouco reconhecido e tratado.

Impacto no dia a dia

Estima-se que, no último ano, cerca de 50% da população adulta mundial (18 a 65 anos) sofreu com pelo menos uma dor de cabeça. A cefaleia, como também é chamado este desconforto, de longa duração (mais de 15 dias todos os meses) tende a afetar cerca de 2 a 4% dessa percentagem.

Se sofre de cefaleias sabe como costuma afetar negativamente a sua rotina. A perda da qualidade de vida, prejuízos financeiros, a falta de assiduidade e produtividade são apenas alguns dos efeitos negativos desta condição.

Por exemplo, a incapacidade gerada, sobretudo pela enxaqueca, tem tal impacto que o distúrbio aparece nos primeiros lugares entre as causas de anos perdidos, por invalidez, no ranking mundial (Global Burden of Disease Study).

Apesar de a sua origem ainda não estar completamente identificada, sabe-se que os vasos sanguíneos da cabeça e pescoço, nervos com origem cerebral, tecidos à volta do cérebro e áreas como dentes, couro cabeludo, seios da face e musculatura podem gerar dores de cabeça.

Tipos e Causas da Dor de Cabeça

Devido às suas causas, que nem sempre são conhecidas, classificamos as cefaleias em primárias e secundárias.

  • Cefaleias Primárias. As dores de cabeça constantes indicam, simultaneamente, o sintoma e a doença. As mais comuns são a enxaqueca, a cefaleia tensional e a cefaleia em salvas.
  • Cefaleias Secundárias. Retratam dores de cabeça decorrentes de outras doenças. Estas podem ser distúrbios oftalmológicos e do ouvido, infeções bacterianas e virais (sinusite, meningite, gripes e constipações, entre outras), tumores cerebrais, AVC, lesões cranianas, etc.

Cefaleia Tensional

A dor de cabeça tensional costuma ser a mais frequente, em manifestações episódicas (menos de 15 dias/ mês) ou crónicas (mais de 15 dias/ mês). De fato, decorre de problemas (tensão prolongada) na musculatura cervical (ao redor do pescoço), mandibular e ao redor do crânio, bem como de problemas de stress e fadiga. Com efeito, esta é uma dor semelhante a um aperto ou pressão em ambos os lados da cabeça, como uma faixa ao longo da cabeça. A intensidade pode ser ou leve ou moderada, prevalente na testa, na nuca ou na parte de cima da cabeça.

Cefaleia em Salvas

Já na cefaleia em salvas a dor atinge ‘apenas’ um dos lados da cabeça, sendo pulsátil, severa e aguda. As dores geralmente assolam sobretudo a região do olho ou ao redor, provocando vermelhidão e lacrimejo, bem como escorrimento ou bloqueio na narina do lado afetado. Este distúrbio é mais raro, mas quando acontece é mais frequente em homens (por cada mulher afetada há 6 homens com a doença). Os ataques severos registam-se ao longo do dia (1 a 8), são geralmente breves e mais comuns no período noturno. Podem perdurar por dias ou, por outro lado, por meses.

Enxaqueca

Uma das dores mais comuns, a enxaqueca, ou migrânea, é um distúrbio neurovascular crónico, recorrente e incapacitante. Em princípio tem predominância em adultos, dos 35 aos 45 anos, sobretudo mulheres (2 vezes mais que em homens), mas com as primeiras manifestações na adolescência.

Só para ilustrar, as estatísticas indicam que cerca de 15% de toda a população mundial sofre de enxaqueca.

Esta dor pode ser moderada ou severa. Tende a acometer apenas um lado da cabeça, de forma latejante e com duração de algumas horas, e mesmo até 3 dias. Por outro lado pode também ser agravada com o exercício físico.

Sintomas e ‘gatilhos

Em princípio, sintomas típicos da enxaqueca que pode sentir são: náuseas, congestão nasal, vómitos, lacrimejamento, sensibilidade à luz (fotofobia), aos sons (fonofobia) e aos movimentos, e irritabilidade.

Antes de uma crise é provável que sinta lentidão, fadiga, depressão ou inquietação e irritabilidade. Do mesmo modo que pode também apresentar sintomas neurológicos – aura – que incluem faíscas ou luzes intermitentes, linhas onduladas, perda temporária de visão e formigueiro num lado do corpo.

Seja como for, a enxaqueca pode provocar um ataque por semana, como um por ano, sendo a genética um fator importante. No entanto existem diversos ‘gatilho’ (alguns evitáveis) para a ativar:

  • Mudança do tempo – calor, aumento da humidade;
  • Estímulos sensoriais – sons, luzes e cheiros intensos;
  • Alterações no sono, cansaço, stress;
  • Na alimentação – por exemplo: álcool, chocolate, queijo envelhecido, alteração no consumo de cafeína, nitratos em carnes curadas e peixes, e também o ‘saltar’ refeições.

Tratamento para a da dor de cabeça | Mudança no Estilo de Vida

O tratamento da dor de cabeça constante e seus distúrbios depende de profissionais. Estes farão um diagnóstico da condição, baseado em testes clínicos e no historial do paciente. Em seguida ser-lhe-á indicado um tratamento, tanto medicamentoso como também, por vezes, de mudanças no seu estilo de vida. Às vezes, os medicamentos utilizados envolvem analgésicos, profiláticos e remédios para a enxaqueca e náuseas.

Para ajudar a evitar a dor de cabeça tensional é importante que estabeleça um estilo de vida que ajude a controlar a ansiedade e o stress. Se possível, mantenha uma alimentação saudável, regular e evite levar o cansaço ao extremo.

Cuide da sua saúde mental, uma medida essencial para evitar dores de cabeça constantes. Consulte um dentista, caso as dores de cabeça constantes estejam relacionadas com os dentes ou a mandíbula. O exercício físico regular é importante, bem como técnicas de relaxamento que possam ajudá-lo com a musculatura e o stress.

E não se esqueça que para um diagnóstico mais preciso e um tratamento mais rigoroso deve consultar e seguir as indicações de um médico.

Importante!

A dor de cabeça pode ser perigosa se for muito forte e pode surgir repentinamente – especialmente se, por exemplo, for acordado de repente ou sofrer um impacto na cabeça. Pode também intensificar-se e persistir por alguns dias, debilitando-o para a sua rotina.

Também deve estar atento em caso de mudança significativa no padrão das dores de cabeça. Febre alta, sonolência, redução do estado de alerta/ memória, desmaios, convulsões, confusão mental, rigidez da nuca ou alterações motoras. As mudanças na personalidade ou função mental, entre outros sintomas neurológicos (problemas visuais, fala arrastada, fraqueza, formigueiro, entre outros) são também sinais de alerta.

Em suma, estes agravamentos indicam a necessidade de atendimento médico imediato, pelo que deve estar atento e consultar um especialista sempre que sinta estes sintomas.

banner-airfree-pt