Para respirar melhor, a importância de beber água

Para respirar melhor, a importância de beber água

Beber água ajuda a manter a saúde. Ao hidratar os pulmões, tem ainda uma ação benéfica no alívio dos problemas respiratórios. Nesta altura de maior confinamento, ela é mais do que nunca necessária!

Em tempo de pandemia há naturalmente uma enorme preocupação em evitar o contacto com o novo coronavírus, de forma a não ser infectado. O distanciamento social, máscaras, higienizações de objetos e superfícies tornaram-se hábitos diários, que seguirão conosco até à altura em que o risco de contrair a doença possa diminuir. 

Mas enquanto fazemos o possível para reduzir a nossa exposição ao SARS-CoV-2, devemos também fortalecer o organismo para, em caso de infecção, ter maior probabilidade de combater esse vírus, e evitar outras doenças respiratórias severas. 

Segundo dados do INE – Instituto Nacional de Estatística, em 2018 as doenças do aparelho respiratório causaram 13.305 óbitos, com um aumento de 3,8% em relação ao ano anterior, o que representou 11,7% da mortalidade total no País.  

O sensível sistema respiratório

O sistema respiratório é um dos mais sensíveis do corpo humano, pois é através da respiração que entramos em contacto com vários microrganismos que podem causar doenças. Manter o trato respiratório saudável é uma condição essencial para ter qualidade de vida.

Sobretudo por volta dos 70 anos, pessoas que padecem de alguma doença respiratória, como asma ou bronquite, sabem que o simples ato de inspirar o ar já pode cansar os pulmões. Para absorver oxigénio, os pulmões mais sensíveis chegam a ficar ofegantes e perdem mais água do que o normal. E aqui chegámos à importância, acima citada, de dar alívio aos desconfortos respiratórios: beber água. 

Como funciona esta hidratação… 

A água é fundamental ao bom funcionamento do organismo, pois integra diversas funções essenciais, desde o transporte de nutrientes, eliminação de toxinas e regulação da temperatura corporal, até à lubrificação das mucosas. Mais de 60% do corpo de um adulto é composto por água.  

Ao entrar em contacto com o sistema respiratório, a água faz com que as mucosas fiquem mais húmidas e as secreções mais líquidas, sendo assim mais facilmente eliminadas e levando com elas os vírus e bactérias.

Quando não há hidratação suficiente, as secreções ressecam e endurecem no pulmão, agindo como uma espécie de rolha na traqueia, o que dificulta ainda mais a respiração. Daí a importância de ingerir o líquido, que será absorvido pelo sistema digestivo e ajudará a hidratar os brônquios, dissolvendo as secreções.

Apesar de ser uma informação recorrente, sempre reforçada pelos médicos e também em artigos na Imprensa, muitas vezes descuidamos da hidratação. Seja por não ter esse hábito ou por subestimar o impacto da falta de água no corpo, acabamos por ingerir menos líquido do que deveríamos. 

Que quantidade de água precisamos beber?

Embora exista a referência de que se deve beber 2 litros de água por dia, a verdade é que essa quantidade varia bastante de pessoa para pessoa. Ela depende do estilo de vida que se leva, da temperatura do local onde se habita, da prática, ou não, de exercício físico, e até do próprio peso – indivíduos com maior peso corporal também necessitam de mais água. 

Nos idosos, a desidratação costuma acontecer, principalmente, por dois motivos: primeiro, o idoso tem menor quantidade de água no organismo do que um adulto mais jovem; segundo, o “mecanismo” que avisa que está na hora de ingerir líquidos não funciona tão bem nesta fase da vida. Ou seja, a pessoa sente menos sede, bebe menos água e acaba por ficar desidratada. É uma via de mão dupla…

Uma das formas de saber se a hidratação está adequada é verificar a cor da urina. Se estiver amarelo-escura, com odor forte, e a pessoa for menos vezes do que costuma à casa de banho, é sinal de que ela está a ingerir pouca água. 

Água & tosse

Entretanto, caso uma pessoa tenha tosse constante na decorrência de problemas respiratórios, também é indicado que beba bastante água. De facto, o “mecanismo” fundamental para o tratamento da tosse é a hidratação do muco. Quanto mais fácil for eliminá-lo, mais depressa a tosse irá desaparecer.

Já agora, em caso de tosses secas e irritativas aconselha-se igualmente uma melhor hidratação, e o estar atento aos sinais que o corpo emite. Tosses que duram mais de 10 ou 15 dias precisam de atendimento médico para diagnóstico.

banner-airfree-ptPowered by Rock Convert