Ozono, o agente invisível que prejudica a sua saúde

Ozono, o agente invisível que prejudica a sua saúde

Saiba como proteger-se dos altos níveis de ozono, que podem afetar a qualidade da sua vida

Provavelmente já ouviu falar da camada do ozono e da sua importância para a vida no planeta Terra. Contudo, já parou para pensar que gás é este e por que precisamos de estar atentos aos níveis de concentração no ar que respiramos?

Assim sendo, saiba que é um gás composto por três átomos de oxigénio. Pode encontrar-se tanto na parte superior da atmosfera da Terra quanto no nível do solo, onde vivemos. E é exatamente o local onde o ozono se encontra que o torna um problema, ou não, para a saúde.

O ozono é benéfico ou prejudicial?

Segundo a Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (EPA), o ozono benéfico é o chamado ozono estratosférico. Este ocorre naturalmente na atmosfera superior, onde forma uma camada que nos protege dos nocivos raios ultravioletas do sol. Foi também parcialmente destruído por produtos químicos sintéticos, resultando no “buraco da camada de ozono”. Por isso, hoje existe uma maior consciência e mobilização político-social para reverter este cenário, com o objetivo de reduzir o dano nesta camada protetora.

Já o ozono ao nível do solo (ou ozono troposférico) é um poluente atmosférico prejudicial, sendo um dos principais ingrediente da “poluição atmosférica”. Só para ilustrar, este não é emitido diretamente no ar, como outros poluentes. Forma-se a partir de reações químicas entre óxidos de nitrogénio (NOx) e compostos orgânicos voláteis (VOC). Ou seja, isto acontece quando os poluentes emitidos por carros, fábricas de produtos químicos e outras fontes reagem quimicamente na presença da luz solar.

É tóxico?

É um gás fortemente que provoca irritações agressivas no sistema respiratório, provocando inflamação das vias respiratórias, que se torna aguda para níveis elevados de concentração. Por conseguinte, uma vez exposto ao O3, o nosso corpo tenta prevenir que entre no pulmão, explica a Agência Portuguesa de Ambiente (APA). Este reflexo reduz a quantidade de oxigénio que inalamos. Só que ao inalar menos oxigénio o nosso coração entra em esforço.

Com efeito, para pessoas que já sofrem de doenças cardiovasculares ou respiratórias (como asma, bronquite e enfisema), episódios com altas concentrações de ozono podem ser debilitantes ou até fatais, inclusive pode levar a mortes prematuras. Além disso, pessoas com certas características genéticas e indivíduos com ingestão reduzida de alguns nutrientes, como vitaminas C e E, assim como crianças, podem ter mais problemas com a exposição ao ozono.

Em suma, as consequências no organismo vão desde dor no peito, tosse, irritação na garganta e inflamação das vias aéreas. Também pode reduzir a função pulmonar e prejudicar o tecido pulmonar. A gravidade destes efeitos aumenta com a concentração de ozono no ar, o tempo de exposição e a quantidade inalada.

Qual o seu impacto ambiental

Estudos demonstram que a exposição elevada a este gás pode afetar a vegetação e ecossistemas sensíveis, incluindo florestas, parques e áreas selvagens. Em particular, esse tipo de gás pode prejudicar a vegetação sensível durante a estação de crescimento.

De acordo com a APA, os principais setores que emitem precursores de ozono são o transporte rodoviário, as centrais de energia eléctrica, o aquecimento doméstico, a indústria e a distribuição e armazenamento de combustíveis fósseis. Vale lembrar que este gás e seus precursores são transportados através de longas distâncias na atmosfera podendo ocorrer picos de ozono a grandes distâncias das suas fontes – o que o torna um problema transfronteiriço.

Purificadores sem emissões de ozono

Uma forma de reduzir a concentração de ozono em sua casa ou no ambiente de trabalho é verificar se os purificadores de ar e filtros de forno (HVAC) que utiliza produzem o gás intencionalmente. Isto ocorre porque, em alguns casos, os purificadores de ar que contêm precipitadores eletrostáticos, ionizadores, lâmpadas UV sem revestimento adequado e os purificadores de ar de plasma podem ter o potencial de emitir ozono. Como citado acima, problemas como irritações pulmonares são causadas por este gás, de modo que os geradores intencionais de ozono não devem ser usados ​​em espaços ocupados, pois colocam em risco a sua saúde e a das outras pessoas.

Quando adquirir o seu purificador de ar dê preferência aos modelos como os da Airfree, que não emite iões e reduzem comprovadamente a concentração de ozono na atmosfera. Este aparelho não liberta nenhum gás ou produto químico e ainda conta com um processo de esterilização natural.

O que mais preciso saber sobre o ozono?

O ozono também tem aplicações benéficas, como por exemplo em processos de desinfeção/ tratamento de água, entre outros. No caso dos processos de tratamento de água, o ozono atuaria como oxidante com potencial de desinfeção.

É importante que fique atento às concentrações de ozono nas cidades onde vive e, se possível, permaneça em ambientes com boa qualidade do ar. Consulte o sistema Qualar da APA, de forma a acompanhar os índices da qualidade do ar das regiões de Portugal. Além disso, ter um purificador Airfree será mais uma garantia de um ar mais limpo e, consequentemente, uma melhoria da sua qualidade de vida.

banner-airfree-pt