Bebés, Alergias e Purificadores de Ar. Qual a relação?

Bebés, Alergias e Purificadores de Ar. Qual a relação BLOG

Table of Contents

Alergias em bebés e problemas respiratórios durante a infância são comuns. Saiba como atenuar alguns dos sintomas através da eliminação de alérgenos

É difícil dizer quem sofre mais com os bebés alérgicos, se é a própria criança ou os pais. Se tem filhos alérgicos sabe que as alergias em bebés desestabilizam a rotina infantil. A maioria das alergias não tem cura mas os seus sintomas podem ser amenizados através de soluções simples. Por exemplo, o afastamento de todos os alérgenos possíveis no ambiente.

Um médico alergologista pode ajudar a identificar os gatilhos! Desta forma será capaz de tomar medidas a fim de evitá-los e garantir uma melhor qualidade de vida para seu filho. Segundo a Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica, as doenças alérgicas têm vindo a aumentar nos últimos anos, sobretudo nas crianças. Isto faz com que o número de registo de alergias em bebés aumente.

As causas deste aumento são ainda debatidas. Desde já, parecem relacionar-se com a industrialização, a poluição, a higiene, alterações da dieta, entre outras. Sabemos igualmente que as crianças que crescem em quintas e ambientes rurais têm menos alergias do que as que crescem em cidades. Todavia os fatores que determinam esta proteção ainda estão por esclarecer.

Porém uma informação já confirmada é que existe uma forte predisposição hereditária para alergias. Ou seja, quando um dos pais ou irmão tem uma doença alérgica, a criança tem mais de 50% de probabilidade de vir a manifestar a mesma condição durante a sua vida.

Sintomas das alergias em bebés mais comuns

De modo geral, as alergias provocam espirros, tosse, coriza, congestão nasal, comichão e irritação nos olhos, nariz e garganta. Às vezes, em alguns casos, causam erupções cutâneas ou urticária (eczema ou dermatite atópica), dificuldade a respirar (asma) e dores de estômago.

Neste sentido, a condição alérgica mais comum em crianças é a rinite alérgica. Os sintomas incluem coriza e comichão no nariz, espirros e congestão nasal. Contudo, a asma é a doença crónica mais comum na infância. Na sua forma alérgica, os primeiros sintomas aparecem ainda na infância, ao contrário da asma não-alérgica – que se manifesta a partir dos 12 anos.

Outro sintoma comum das alergias em bebés é a inflamação do ouvido, que pode causar acumulação de líquido, promover infecções de ouvido e diminuição da audição.

Além disso, um bebé cuja audição é prejudicada por qualquer motivo enquanto aprende a falar pode desenvolver uma fala ‘pobre’. Por isso fique atento e consulte um médico pediatra ou alergologista!

Evitar crises alérgicas respiratórias

Em suma, são várias as razões que podem causar alergia no seu filho ou filha. Alguns dos gatilhos mais comuns são ao pó, bolor e fungos. Assim como alérgenos de ácaros e de animais, pólen, produtos de limpeza, inseticidas, fumo de cigarro e perfumes. A melhor forma de evitar as crises é reduzir ao máximo a exposição a estes agentes:

  • Troque e lave a roupa de cama com frequência. A cama é um dos locais que mais acumula ácaros nas nossas casas;
  • Evite usar tapetes, cortinas e outros objetos que concentrem pó facilmente;
  • Mantenha os ambientes arejados e expostos ao sol sempre que possível;
  • Utilize aspirador de pó e pano húmido para limpeza em vez de uma vassoura e/ ou espanador;
  • Não deixe muitos peluches no quarto da criança;
  • Tenha um purificador de ar eficiente, como os modelos da Airfree, que elimine os alérgenos, microrganismos e outras substâncias perigosas do ar.

Alergia a alimentos como glúten e lactose

Nos últimos anos tornou-se mais comum a oferta de produtos sem lactose e glúten, devido ao aumento da discussão sobre alergias e intolerâncias a estes componentes. Mas, antes de mais nada, é preciso fazer uma distinção entre os dois termos.

Primeiramente, a intolerância à lactose é a incapacidade parcial ou completa de digerir o açúcar (lactose) existente no leite e os seus derivados. Como consequência da falta da lactase, enzima que degrada a lactose, esse açúcar chega ao intestino grosso inalterado. Ali, ela acumula-se e é fermentada por bactérias que fabricam ácido lático e gases. Ou se seja, promovem maior retenção de água e o aparecimento de diarreia e cólicas. Já a alergia é uma reação imunológica adversa às proteínas do leite e que ocorre após a ingestão de leite e derivados, independentemente da quantidade. A mais comum é a alergia ao leite de vaca, que pode provocar alterações no intestino, na pele e no sistema respiratório (tosse e bronquite, por exemplo).

No caso do glúten, apenas 1% das crianças e adultos de todo o mundo são afetados pela doença autoimune, chamada de doença celíaca, a qual não é necessariamente considerada uma alergia. O glúten é uma proteína existente em alguns grãos como o trigo, centeio e cevada, digerida com dificuldade na parte alta do trato gastrintestinal. De facto, em pessoas predispostas, as moléculas não digeridas do glúten causam uma reação imunológica e consequentemente um processo inflamatório no intestino delgado, manifestando os sintomas da doença.

Nas crianças pequenas os sintomas variam entre diarreia, distensão abdominal, problemas de desenvolvimento, vómitos, irritabilidade, entre outros. A amamentação protege o bebé predisposto, por outro lado, contudo a introdução de alimentos ricos em glúten antes dos quatro meses de idade aumenta esse risco.

Benefícios de um Purificador de Ar

Se o seu filho é alérgico, optar por um purificador de ar portátil no seu quarto pode ser uma boa ideia para reduzir os sintomas de alergias. Isto porque o quarto acaba por ser o sítio onde crianças passam a maior parte do tempo. Ao escolher o lugar onde ele ficará não esqueça de posicioná-lo de forma que o ar limpo alcance a zona de respiração da criança o mais diretamente possível, sem obstrução dos móveis.

Proteger os bebés de substâncias prejudiciais ao seu organismo, como os alérgenos mencionados acima, é a melhor forma de evitar as crises alérgicas e garantir uma rotina saudável e cheia de energia ao longo da infância.
Um alívio para si e para o seu bebé!

Compartilhe este conteúdo:

Publicações Relacionadas