Melhore a Qualidade do Ar na Sala de Aula!

Melhore a Qualidade do Ar na Sala de Aula!

Com as aulas presenciais voltam as questões de segurança em relação à limpeza do ar e eliminação de vírus nas escolas. Saiba como um purificador de ar pode ajudar, especialmente na Sala de Aula

Com a entrada do Novo Ano chega também o regresso às aulas, depois das férias de Natal. Porém, para que este retorno seja feito com segurança existem várias regras a ser cumpridas, tanto por professores como por alunos.
Se tem filhos que frequentam creches, escolas, liceus, colégios e até universidades é necessário estar atento às medidas que estes estabelecimentos tomam, de forma a salvaguardar a saúde dos seus filhos. Uma destas formas é a utilização de um Purificador de Ar Airfree na Sala de Aula. Vamos explicar-lhe porquê!

Eventualmente pode parecer um detalhe, mas a qualidade do ar em ambiente fechados, nos quais os seus filhos passar grande parte do tempo, tem um grande impacto na sua saúde. De facto, a poluição do ar interno está entre os cinco principais riscos ambientais para a saúde pública.

Antes de mais, já sabemos que respirar ar de baixa qualidade pode causar tosse, irritação ocular, dores de cabeça, reações alérgicas, além de agravar a asma e/ ou outras doenças respiratórias.

A Qualidade do ar na Sala de Aula

Da mesma forma, e como já mencionado, é essencial garantir a qualidade do ar em espaços onde crianças e jovens passam muito tempo. Isto porque são as crianças que têm maior probabilidade de sofrer consequências causadas pela poluição interna.

As crianças respiram um maior volume de ar em relação ao seu peso corporal, têm vias aéreas mais estreitas e um sistema respiratório ainda em desenvolvimento. Por isso muitas delas acabam por respirar pela boca e não pelo nariz, onde há um sistema natural de ‘filtragem’.

A exposição a alguns gatilhos e alérgenos, como pragas (baratas), fungos, ácaros e animais de estimação influenciam o desencadeamento dos sintomas de asma. Isto, por sua vez, acaba por afetar milhares de alunos.

Sabia que quase 1 em cada 13 crianças em idade escolar tem asma? Ou seja, a asma é a principal causa de absentismo de alunos devido a doenças crónicas.

Sem dúvida que cuidar do ar que circula internamente na sala de aula é imprescindível! Tanto para um ambiente favorável à saúde, assiduidade, desempenho, assim como para dar aos alunos uma sensação de conforto e bem-estar.

Educação Vs. Saúde

Mas infelizmente a procura por um ar de qualidade não é uma realidade em todos as instituições de ensino. Muitas apresentam problemas de infraestrutura, devido a baixos recursos financeiros, o que contribui para uma manutenção inadequada das instalações.

A isto soma-se a elevada densidade de alunos e o fornecimento insuficiente de ar externo. Em suma, isto faz com que os problemas de qualidade de ar nas escolas possam ser mais sérios do que em outros edifícios.

Do mesmo modo, muitas escolas não têm ventilação suficiente, têm áreas relativamente pequenos e atividades internas intensas. Neste contexto, o aumento da incidência de doenças alérgicas, infeciosas e asma pode estar relacionada com problemas na qualidade do ar interno.

Aulas presenciais e a COVID-19

E não podemos esquecer dos riscos relacionados à pandemia. Mesmo com a elevada taxa de vacinação e o baixo índice de mortes por COVID-19 no país, as novas variantes do Novo Coronavírus continuam a assustar a população. Por isso, o início das aulas foi adiado para 10 de janeiro e as medidas de prevenção e controlo da transmissão do vírus já praticadas serão mantidas.

Para o novo ano, ano letivo 2021/ 2022, o governo português recomenda, entre outras, as diretrizes abaixo:

  1. Alunos, professores e outros profissionais do ambiente escolar, devem permanecer em casa perante quaisquer sinais e/ ou sintomas de doença;
  2. Professores, funcionários, visitantes e alunos (a partir do 2º ciclo básico, independentemente da sua idade) devem utilizar máscara. Entretanto, para os alunos do 1º ciclo básico, desde que sob orientação e supervisão de um adulto, o uso de máscaras segue altamente recomendado;
  3. Todos os que entrarem na escola são orientados a lavar ou desinfetar as mãos;
  4. Todos devem manter o distanciamento físico recomendado entre pessoas. Nas salas de aula, sempre que possível, deve haver um distanciamento físico entre os alunos e alunos/ docentes de, pelo menos, 1 metro;
  5. A escola precisa de assegurar uma boa ventilação dos espaços, preferencialmente com ventilação natural, através da abertura de portas ou janelas. Pode também ser utilizada ventilação mecânica de ar, com a limpeza e manutenção adequada, de acordo com as recomendações do fabricante.

A importância de um Airfree na Sala de Aula

Além da ventilação, uma das formas de se conseguir uma qualidade do adequada em ambientes internos é através de um purificador de ar que elimine vírus, bactérias, fungos, ácaros e outros microrganismos e substâncias perigosas responsáveis por provocar alergias respiratórias e asma.

O ideal é escolher um modelo que reúna várias vantagens como alta eficiência, funcionamento silencioso, sustentável (menor consumo de energia e sem necessidade de troca de peças) e resistente. Este é o caso do modelo Airfree WM, indicado para espaços públicos fechados, mais amplos e com maior fluxo de pessoas. Perfeito para ambientes escolares. Além de manter a boa qualidade do ar, ajuda a eliminar os vírus do ambiente, incluindo o SARS-COV-2 (veja como foi feito o teste aqui).

Resumindo, dê preferência a escolas que se preocupam com a qualidade do ar das salas de aula, certamente que cuidar da saúde dos seus filhos vai ser mais fácil e prático!

banner-airfree-pt