A asma e seus 4 Graus

A asma e seus 4 Graus

A falta de ar e a utilização das conhecidas “bombinhas” são, normalmente, as imagens que nos surgem quando se fala em asma. No entanto, para surpresa de muitos os tipos de asma são uma patologia de difícil definição e diagnóstico, devido à sua complexidade e das diferentes formas em que se apresentam.

De acordo com o Gina 2016 (Global Initiative for Asthma), a asma é uma doença heterogénea, geralmente caracterizada por uma inflamação crónica das vias aéreas.  Ela é definida principalmente pelo histórico de sintomas, tais como chiado no peito, falta de ar, aperto no peito e tosse, que varia ao longo do tempo e em intensidade, associada a uma limitação variável do fluxo respiratório.

Normalmente, a asma é deflagrada após a exposição a:

Alérgenos ambientais

provenientes de fungos, ácaros, animais de estimação, baratas e grãos de pólen

Agentes irritantes

ozono, tabaco e outros poluentes

Infecções virais, mudanças no clima e exercício físico.

Em geral, existe uma predisposição genética para o surgimento da asma. Os sintomas podem desaparecer sozinhos, ou em resposta a medicamentos, dependendo, portanto, do tipo de asma e da sua gravidade.

Existem 4 graus da Asma, assim caracterizados:

Grau 1 – Intermitente:

Sintomas leves, recorrentes de forma eventual, no máximo até duas vezes por semana. Os sintomas não levam a uma limitação da normal atividade e alguma crise pode acontecer, no máximo, uma vez por ano.

Grau 2 – Persistente leve:

Sintomas recorrentes, duas ou três vezes por semana, apresentando reações leves. Ocorre limitação das atividades físicas durante as crises, que podem surgir duas vezes por ano, ou mais.

Grau 3 – Persistente moderada:

Sintomas moderados, mas diários, que levam ao uso de medicação contínua. Existe limitação das atividades físicas durante as crises, que acontecem duas vezes por ano, ou mais.

Grau 4 – Persistente grave

Considerada asma grave, os sintomas são sentidos todos os dias, limitando, de forma contínua, as normais atividades. A utilização de medicamentos é diária e os episódios mais graves podem surgir duas ou mais vezes ao ano.

Qual o tratamento para os 4 tipos de asma?

O tratamento realiza-se através de medicamentos receitados por médico especialista, que podem ser desde broncodilatadores inalatórios, até corticóides orais e inalatórios.

Além disso, é necessário evitar as crises:

Através de medidas de controle ambiental: manter a casa limpa e evitar  o contacto com alérgenos aos quais o asmático é sensível

Evitar o fumo do tabaco

Apanhar sol: a vitamina D inibe a deflagração de crises.

Manter-se no peso ideal e principalmente ter uma alimentação saudável

Agasalhar-se bem no tempo frio: as mudanças de temperatura podem deflagrar crises

Praticar atividade desportiva, sob recomendação médica.

Apesar de muitos acreditarem que o exercíco físico deflagra crises, na verdade  ele melhora a função pulmonar, desde que tomadas as devidas precauções.

E por último, é muito importante ter um aparelho purificador de ar, sobretudo nos quartos de dormir, para destruir os alérgenos que possam potenciar as crises!

Referências:

Global Strategy for Asthma Management and Prevention (2016 update)

Asma: o que é, causas, sintomas, tratamento, diagnóstico e prevenção. https://saude.gov.br/saude-de-a-z/asma (consultado a 13 fev. 2020)

banner-airfree-ptPowered by Rock Convert