O que deixa a nossa pele seca?

O que deixa a nossa pele seca?

Pele seca é um problema frequente, mas que na maioria das vezes pode ser evitado de forma simples e prática

Com o título de maior órgão do corpo humano, a pele é uma proteção essencial para o organismo, principalmente para evitar a sua dessecação, ou seja, a perda de umidade. Formada por três camadas, epiderme, derme e hipoderme, ela necessita de cuidados diários – que podem ser simples, mas fazem toda a diferença!

A epiderme, a camada mais externa da pele, é exatamente a que podemos ver a olho nu. Sua principal função é formar uma barreira contra danos externos, desde substâncias a micróbios. É nela que estão os melanócitos, as células que produzem melanina, o pigmento que dá cor à pele. A epiderme também origina os anexos da pele, como unhas e pelos.

Já a camada intermediária, a derme, é formada por fibras de colágeno, elastina e gel coloidal, que dão tonicidade, elasticidade e equilíbrio à pele, e por grande quantidade de vasos sanguíneos e terminações nervosas. Mais abaixo está a terceira e última camada da pele, formada basicamente por células de gordura.

A epiderme reúne também células córneas finas e mortas, bem como uma fina película gordurosa, resultando em uma estrutura similar a um muro e capaz de auxiliar na retenção da água. Deste modo, a manutenção dessa camada envolve um processo constante de renovação celular, em que as células mais antigas são descamadas para o ambiente e automaticamente substituídas pela camada de células maduras subjacentes (já queratinizadas).

A umidade retida na camada córnea garante a devida flexibilidade, funcionamento e amadurecimento das células córneas. Entretanto, a dessecação e os problemas nessa barreira podem ocasionar em uma pele seca e escamosa.

Pele seca

A pele ressecada é uma consequência de uma retenção insuficiente de umidade pelas células da pele. Durante o inverno, as temperaturas e a umidade do ar (interna ou externa) caem, o que pode resultar na pele ressecada, vermelha e áspera. Nessa época, também é comum o uso de aquecedores e lareiras para combater o frio, porém ficar muito perto dessas fontes de calor pode ocasionar na desidratação da pele.

Outras situações que contribuem para deixar a pele mais ressecada são o uso de sabonetes ásperos, banhos excessivos, longos e com água quente, além do envelhecimento ou ainda condições médicas.

Hidratação

Para manter a pele hidratada é preciso usar hidratantes adequados a cada tipo de pele e específicos para o rosto e o corpo. Seu efeito é ainda mais garantido quando o produto é aplicado logo após o banho ou lavagem das mãos, de modo a reter a umidade da pele do banho. A composição desses produtos favorece a retenção de umidade na pele, tanto pela atração dela decorrente dos umectantes (absorção hídrica), como pelo efeito de preenchimento da pele (espaços entre as células) promovido pelos emolientes ou ainda pela atuação de outros compostos.

É bom lembrar que as peles oleosas também precisam de hidratação. Nesse caso, recomenda-se usar um produto oil free, à base de água e que não aumenta a oleosidade.

Mas não se esqueça: uma boa hidratação deve ser feita por dentro e por fora. Por isso, além do uso de produtos específicos, recomenda-se a ingestão diária de, no mínimo, dois litros de água.

Pele seca e a higienização das mãos na pandemia de COVID-19:

Em meio à pandemia todos já sabemos a necessidade de se higienizar as mãos para evitar uma contaminação aos encostá-las nos olhos, boca e nariz. E a regra vale não só para a COVID-19, mas para outras doenças. Porém, tanto a lavagem com água morna e sabão como o uso de álcool gel (pelo menos 60%) podem resultar em uma pele mais ressecada. Algumas medidas que ajudam a aliviar essa consequência são:

  • Deixe suas mãos secarem naturalmente, ou se for secá-las, utilize uma toalha limpa e não as sequem completamente
  • Dê preferência pela água fria, quando possível
  • Aplique hidratantes em toda sua mão (inclusive unhas e pontas dos dedos) logo após higienizá-las, isto é, enquanto ainda estiverem úmidas.
  • Essa aplicação é recomendada independentemente de como você higienizou suas mãos (água e sabão ou álcool)
  • Esteja sempre atualizado com informações confiáveis sobre o assunto, e em caso de dúvidas fale com o seu médico.