Dor de Garganta em Crianças: Quais as causas?

Dor de Garganta em Crianças: Quais as causas?

A dor de garganta atinge tanto as crianças como os adultos e tem várias origens. Tanto pode resultar de alergias ou do uso demasiado da voz, como estar relacionada com a exposição ao fumo do tabaco ou ao refluxo gastroesofágico. Também pode surgir se a garganta estiver muito seca, ou ser um sintoma de doenças do trato respiratório superior. Contudo, a sua causa mais comum decorre de infeções virais, como os vírus da gripe, constipação, ou doenças da infância – sarampo, difteria, varicela, tosse convulsa.

Dor de garganta bacteriana e viral

Alguns dos sintomas típicos são a garganta áspera, seca e com dores ao engolir.

Entretanto, apesar de as dores de garganta de origem viral e bacteriana terem sintomas semelhantes, a viral está mais associada à coriza, tosse, rouquidão na voz e conjuntivite. Já a bacteriana, como a faringite estreptocócica, além de apresentar dor repentina costuma trazer febre, dor ao engolir, manchas vermelhas no céu da boca, amígdalas e gânglios do pescoço inchados, possivelmente com pus, ou manchas esbranquiçadas. Em alguns casos também pode evoluir para a escarlatina (manchas vermelhas espalhadas pelo corpo).

A gravidade varia conforme os casos, mas é importante que se fique atento à duração e intensidade dos sintomas, especialmente na faringite estreptocócica. Se eles se tornarem mais fortes ou se a dor de garganta for recorrente, deve levar-se a criança ao médico.

Diagnóstico e tratamento

As dores de garganta são geralmente o reflexo de uma inflamação na faringe, mas também podem ter origem na laringe e/ou nas amígdalas. Somente um profissional de saúde poderá diagnosticar de forma apropriada, através de exames e testes, qual a causa e definir a melhor forma de tratamento.

A maioria das dores de garganta tende a curar-se pelo próprio organismo em cerca de uma semana, mas existem medicamentos para aliviar os sintomas. E mesmo que alguns deles não necessitem de prescrição, recomenda-se no entanto que se utilizem sob acompanhamento médico, ou pelo menos farmacêutico, principalmente quando se destinarem às crianças.

No caso de infeções bacterianas os antibióticos podem ser necessários, mas saiba que não terão efeito nas infeções virais ou de outras origens.

E mais: não se devem tomar antibióticos quando não são necessários, já que isso pode ter consequências severas para a saúde.

Prevenção e “dicas” caseiras para aliviar a dor de garganta

De modo geral, beber muitos líquidos ajuda a manter a garganta hidratada e com uma mucosa saudável, que a protege.

Por outro lado, a exposição prolongada ao ar seco tende a provocar irritações, pelo que se devem evitar os excessos com o ar-condicionado.

De preferência, quando o ar estiver muito seco podem utilizar-se humidificadores/vaporizadores devidamente limpos.

Importante, também, tentar saber se está a dormir de boca aberta, o que poderia agravar a secura da garganta.

E a voz rouca também pode ser o indício de uma garganta debilitada. Se for esse o caso tente poupar a sua voz.

Outras “dicas” úteis para ajudar crianças (e adultos) a sentirem-se melhor quando estão com a garganta inflamada passam por:

  • Ingerir mel para prevenir a tosse (apenas acima de 1 ano de idade);
  • Fazer gargarejos com água salgada;
  • Apesar de ainda sob estudo, o uso de própolis apresenta potencial no combate a bactérias.

A melhor forma de prevenir as dores de garganta é manter-se saudável, evitar o contacto com o fumo do tabaco ou ar poluído, além de garantir a higienização constante das mãos.

E, nota final neste capítulo da prevenção: há quem pense que bebidas geladas ou gelados podem resultar em dores de garganta, mas a verdade é que não é assim necessariamente, pois isso depende de cada organismo.

A importância da qualidade do ar

Considerando que as alergias e a qualidade do ar podem provocar ou agravar a dor de garganta, é fundamental cuidar da qualidade do ar da casa. Alguns procedimentos simples podem ser bastante eficazes para trazer mais qualidade de vida e fortalecer o organismo, a saber:

  • Manter as janelas e portas sempre limpas

O primeiro passo para melhorar a qualidade do ar de dentro de casa é manter sempre limpos todos os locais por onde o ar passar. Janelas, portas ou outros tipos de ventilação, como as telas do ventilador e humidificadores, devem ser higienizadas regularmente, e mantidas abertas por um período do dia se o clima permitir.

  • Limpar o filtro do ar condicionado

Se tem um ar-condicionado e o usa com frequência, é importante limpar ou trocar os filtros com regularidade.

  • Lavar as roupas de cama com frequência

Trocar a roupa de cama com regularidade e não esquecer de lavar também travesseiros e cobertores é importante, uma vez que a cama é um ambiente propício para o acumular de ácaros.

Investir num purificador de ar

Estes aparelhos são de grande eficiência na melhoria da qualidade do ar dos ambientes internos.

***

Se mesmo com todos os cuidados acima descritos a dor de garganta das crianças se agravar ou, ainda, se surgirem com frequência problemas respiratórios, deve procurar-se um médico. Pode ser necessário investigar se essa condição não estará relacionada com outras doenças, como por exemplo a bronquite infantil.  

Bronquite infantil: Como identificar e tratar:

bronquite e bronquiolite afetam, em Portugal, de 30 a 60% das crianças até aos 3 anos. Clique aqui e conheça as causas e os principais sintomas.

banner-airfree-pt