fbpx

Comer o que o bosque dá?

amoras

Contra os maus hábitos alimentares atuais há quem proponha readaptar a alimentação, também com recurso aos alimentos silvestres. É disso que trata o Projeto “Natureza Comestível”, que agora completa o seu primeiro ano.

O mais recente vídeo do Projeto “Natureza Comestível” é sobre as amoras-silvestres, pequenos frutos muito comuns em todo o território e de elevado valor nutricional, nomeadamente em antioxidantes, vitaminas K e C e ácido fólico…

Propriedades que os tornam “medicinais”, já que estimulam o sistema imunitário, previnem doenças degenerativas, melhoram o trânsito intestinal e o funcionamento do cérebro, e revitalizam a pele.

Um vídeo muito completo, onde são também apresentadas dicas úteis para a preparação de uma compota e sugestões de utilização.

Mas afinal o que é isto de “Natureza Comestível”?

Trata-se de uma coprodução da Quercus e MPI – Movimento Pró-Informação para a Cidadania e Ambiente, no âmbito da qual já foram publicados até ao momento 14 vídeos sobre diversos alimentos silvestres, com uma abordagem simples e didática.

Os responsáveis chamam a atenção para o facto de estes alimentos ancestrais, pelo seu excecional valor nutricional e adaptação ao território, serem de grande importância para uma dieta equilibrada e para corrigir carências, devidas aos maus hábitos alimentares atuais…

“Ao readaptarmos a nossa alimentação estaremos a contribuir para uma sociedade mais sustentável e para a valorização dos nossos bosques autóctones e o apoio ao mercado emergente deste tipo de alimentos.”

Um desafio, na melhoria da saúde…A nossa sociedade industrial, que abrange o setor agroalimentar, tem conduzido ao abandono da dieta tradicional e ao avanço das monoculturas, destruindo-se território, solo e biodiversidade, comprometendo assim a produção de alimentos no futuro e diminuindo a qualidade da nossa alimentação. Por outro lado, o conhecimento científico atual tem demonstrado que os alimentos silvestres são mais ricos em nutrientes, podendo corrigir as carências e desequilíbrios da dieta atual, sendo que o nosso organismo está melhor adaptado a eles, em resultado dos milhões de anos de evolução.

E a Associação Nacional de Conservação da Natureza espera que esta iniciativa possa ampliar a divulgação dos nossos recursos naturais alimentares, na certeza de que “ajustar o nosso regime alimentar ao território é um dos desafios com potencialidades na melhoria da saúde, na promoção do bosque autóctone e na economia nacional, através do mercado emergente de alimentos silvestres, ou seja, para uma sociedade mais sustentável.”

COMO ACEDER A ESTES VÍDEOS

A série de vídeos surge como complemento aos livros “Ervas Silvestres Comestíveis – Guia Prático” e “Frutos Silvestres Comestíveis – Guia Prático”, editados pela Quercus em 2015 (disponíveis na loja online da Quercus).Os vídeos são de curta duração e numa abordagem prática e didática transmitem informações úteis sobre a importância, qualidade nutricional, dicas para a recoleção, conservação e utilização através da demonstração de uma (ou duas) proposta(s) gastronómica(s).

Ervas comestíveis, frutos, com destaque para a bolota ou as algas marinhas são os tipos de alimentos silvestres abordados nos 14 episódios disponíveis no canal do Youtube “Natureza Comestível” e na Quercus TV.

Para mais informações:

Alexandra Azevedo, Mentora do Projeto “Natureza Comestível”

alexandraazevedo@quercus.pt

e

mpicambiente@gmail.com

Coordenação:

MLG -Comunicação e Serviços

mlg@mlg.pt

banner-airfree-ptPowered by Rock Convert
Close Menu