O reverso da medalha dos bons cheiros que nos rodeiam

Segundo um recente alerta da DECO, alguns ambientadores domésticos libertam compostos tóxicos que contribuem para a má qualidade do ar interior, sendo portanto nocivos para a saúde!

Os momentos de relax no conforto das nossas casas podem estar ameaçados nalguns casos, se tivermos por hábito criar um ambiente “zen”, com certos tipos de ambientadores, como por exemplo os incensos e óleos essenciais para queimar…

Quem o diz é a Associação de Defesa do Consumidor, que exigiu a retirada do mercado de algumas marcas destes produtos, já que emitem substâncias nocivas para a saúde, descrevendo-as mesmo como “ina­ceitáveis em produtos de uso doméstico”, pois contribuem para a má qualidade do ar que se respira nos ambientes internos.

Da má qualidade do ar a “outros” perigos”

Ainda segundo a DECO, a venda de ambientadores, sejam velas, difusores, óleos essenciais ou incensos para queimar, tem aumentado principalmente na Europa, mas a mensagem de que camuflam odores ou dão um cheiro agradável à casa, pode resultar numa alta “fatura” na qualidade de vida do consumidor…É que o problema não passa “só” pela má qualidade do ar interior, mas também por outros perigos no caso das marcas que contêm benzeno e formaldeído, sendo duas substâncias reconhecidas pelos seus efeitos cancerígenos.

E o estudo dá como exemplos, “um só pau de incenso que pode emanar benzeno em quantidade equivalente à de cinco cigarros”, ou, no capítulo dos óleos essenciais, a libertação de níveis de formaldeído que prejudicam a qualidade do ar que se respira em casa, tendo em conta os valores de referência propostos pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pela Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos


Em resumo, entre os ingredientes dos incensos e dos óleos essenciais estão substâncias alergénicas, que potenciam crises de asma ou reações alérgicas, e compostos orgânicos 
voláteis, responsáveis por irritações na pele, nos olhos e nas vias respiratórias, enxaquecas, cansaço, náuseas e fadiga.

Medidas de Segurança, precisam-se!

O problema passa também pela falta de legislação para estes produtos e é assim que Portugal, juntamente com outros países que participaram no estudo –  Espanha, Bélgica e Itália – estão, através das respetivas associações de consumidores, a desenvolver esforços junto da Comissão Europeia para criar um regulamento europeu e um sistema de fiscalização para estes ambientadores.

Para a DECO são essenciais as medidas de segurança que devam ser aplicadas aos ambientadores, à semelhança do que acontece com outros produtos…
Por exemplo, a Comissão Europeia criou uma lista de 26 fragrâncias especialmente alergénicas, que devem ser referidas no rótulo dos cosméticos e detergentes que as incorporam.

À LUZ DA VELA…MAS SEM EXAGERAR!

É tão bom às vezes acender muitas velinhas…e ficar a olhar as luzes tremeluzentes e a pensar na vida, ou não pensar absolutamente em nada!

Pois é, mas também com elas é preciso cuidado, já que o estudo agora feito, não as apresentando como perigosas para a saúde, não deixa de fazer o reparo de que “a maioria emite partículas finas PM2,5, que permanecem no ar durante longos períodos e      podem ser inaladas, alojando-se nas zonas profundas dos pulmões”.

Por via das dúvidas é melhor também limitar-lhes o    uso a ocasiões especiais: um jantar romântico, a mesa natalícia… Ah! E os bolos de Aniversário, claro ! 🙂

banner-airfree-ptPowered by Rock Convert