Alergia respiratória na terceira idade, urge tratar, mas também prevenir.

O envelhecimento natural, a poluição das grandes cidades, o tabagismo e, muitas vezes, a atividade profissional, são fatores determinantes que podem contribuir para o instalar e agravar de doenças pulmonares do tipo crónicas. 

As doenças alérgicas respiratórias, como a Asma e a Rinite Alérgica, foram consideradas durante muitos anos doenças típicas da infância, mas hoje têm uma prevalência cada vez mais alta entre pessoas idosas. A asma, por exemplo, pode ocorrer na infância, permanecer assintomática e depois retornar na terceira idade.

A incidência destas doenças tem aumentado muito nos grandes centros urbanos, principalmente nas estações mais frias do ano, fazendo dos idosos um dos mais atingidos. Como principais sintomas de uma diminuição da qualidade de vida podemos citar a retenção de ar pelos pulmões, tosse produtiva, broncoespasmo (pieira) e falta de ar aos pequenos esforços (dispneia).

O que acontece com o avançar da idade…

O pulmão é o órgão responsável pelas trocas gasosas do nosso organismo transmitindo oxigênio para o sangue e recolhendo gás carbónico. Ao longo da vida, os pulmões vão perdendo elasticidade. A musculatura do tórax perde a capacidade de eliminar secreções pela tosse e de respirar profundamente.

Ao diminuírem a sua atividade, os cílios responsáveis pela filtragem do ar causam um acumular de secreções que favorece a inflamação e reduz a capacidade aeróbica dos indivíduos, aumentando a dificuldade de realizarem atividades no dia-a-dia.

Sabe-se que a Asma e a Rinite alérgica são doenças que tendem a ocorrer juntas, não sendo raro que a presença da rinite seja um fator de risco para o desenvolvimento da asma. Por isso o tratamento deve ser integral, para que se possa atingir o controle da alergia.

Tratamento do idoso… – e prevenção!

O tratamento não é diferente no caso dos idosos, recorrendo-se aos mesmos remédios. Quando se trata da asma, os remédios inalados são mais eficazes e de efeito mais rápido, provocando menores efeitos colaterais do que alguns xaropes e comprimidos, já que atuam diretamente sobre as vias respiratórias, afetadas pela doença.

Este tipo de medicação tem luz verde  para uso nos idosos, mesmo naqueles que tenham outros problemas de saúde, como por exemplo hipertensão arterial ou diabetes. Mas só deve ser feita sob orientação do médico especialista.

Entretanto, tratar não significa apenas tomar remédios, mas também conhecer os fatores que podem agravar o problema… A prevenção é a chave para controlar a alergia. E as medidas simples de cuidado ambiental na casa do alérgico podem resultar em grande melhoria na sua qualidade de vida.

 

Medicação adequada também contribui para o alívio dos sintomas e controle da doença a longo prazo.

CONSELHOS:

– A alergia deve ser tratada não apenas nos momentos de crise, mas de forma preventiva, mesmo quando se está bem.

– As pessoas idosas costumam ficar mais tempo em casa e por isso é fundamental o combate aos ácaros da poeira e a manchas de mofo.

– Medidas simples como manter a casa arejada e abrir as janelas sempre que esteja bom tempo, são fundamentais.

–  Também a limpeza diária, além de evitar excesso de objetos, tapetes e cortinas pesadas auxilia na redução de acúmulo de poeira.

–  É importante combater focos de umidade, a fim de evitar microrganismos indesejáveis como fungos (mofo), bactérias e ácaros.

– Travesseiros e colchões com capas antiácaro são boas opções.

– Recomenda-se que idosos sejam vacinados contra a gripe. Informe-se com o seu médico, pois a vacina está prestes a chegar às farmácias.

– Algumas doenças podem piorar o quadro do asmático, como por exemplo o refluxo gastro-esofágico e as sinusites, entre outras.

– É sabido também que determinados  medicamentos têm capacidade de deflagrar crises. Por isso é importante que tanto o seu médico especialista, como o de família saibam sempre todos os  medicamento que estiver a tomar, avaliando possíveis interações…

– O tabaco está completamente proibido! O alérgico não deve fumar, nem permitir que fumem junto dele!

– E um purificador do ar instalado no quarto de dormir pode ser de grande ajuda…

ASMA – é uma doença inflamatória crónica das vias respiratórias, que causa redução ou obstrução reversível e recorrente no fluxo de ar.

Durante uma crise asmática o interior das vias respiratórias fica inchado, os músculos que envolvem os brônquios ficam contraídos e ocorre uma grande produção de muco (catarro).

A asma é também conhecida como bronquite, bronquite asmática, ou ainda bronquite alérgica.

RINITE ALÉRGICA – É uma manifestação alérgica na mucosa nasal caracterizada por espirros, congestão nasal e comichão (nariz, olhos, ouvidos e garganta).

Considerada sem importância e até confundida com gripes e resfriados, a realidade, no entanto, é que por prejudicar a função nasal pode causar complicações… As mais comuns são as alterações do apetite, paladar e olfato e o  aumento de noites mal dormidas, em que  o ressonar pode por vezes  evoluir para apnéia do sono.

Além disso, a rinite dificilmente anda só: sinusite e outras infeções repetidas completam o quadro.

banner-airfree-ptPowered by Rock Convert