Alergias em foco

A alergia crónica é uma hipersensibilidade imunológica, ou seja, é uma forte resposta do sistema imunológico a uma qualquer substância estranha para o organismo. Sinusite, rinite e asma são algumas das alergias mais frequentes.

 Assinala-se hoje o Dia Internacional dos Portadores de Alergia Crónica.
Das crianças aos mais idosos as alergias assumem cada vez maior destaque, pelos piores motivos, no âmbito da saúde e qualidade de vida das populações…
De facto, elas representam um tópico cada vez mais comum no nosso dia-a-dia, já que se sabe que a quantidade de alérgicos tem vindo a aumentar ao longo dos anos. As principais alergias são doenças crónicas, que podem ser deflagradas ao longo de toda a vida e que, infelizmente, ainda não têm cura.

Dentre a principais alergias, estão as respiratórias. Estima-se que 20 a 30% da população mundial apresente rinite alérgica e até 15% apresente asma1.
Em Portugal, estudos indicam que aproximadamente 20% da população declara sofrer de alguma alergia respiratória2.
Por último, um número preocupante… Calcula-se, que até metade do século, 50% da população mundial irá apresentar algum tipo de alergia.

Mas a que se deve este aumento das alergias?
A comunidade académica ainda não chegou a um consenso sobre o assunto, mas alguns estudos apontam para o aumento, nos grandes centros urbanos, da exposição das pessoas a microrganismos e alérgenos (substâncias que deflagram alergias) maléficos. Isto porque, com o crescimento populacional nas grandes cidades, as pessoas têm vindo a distanciar-se daqueles micróbios benéficos, que são provenientes da terra e dos animais.

Alguns estudos também começam a detalhar a importância da colonização do intestino logo ao nascimento, por bactérias que possam prevenir alergias. Estas bactérias podem ser provenientes da própria mãe, durante o parto normal, através do contato na amamentação, e através do ambiente. O aumento do uso de antibióticos pode igualmente ser um fator com influência no número crescente de alérgicos, já que estes produtos não só eliminam as bactérias que estão a causar a enfermidade, mas também as bactérias benéficas.

Conselhos & Cuidados
Mas se ainda não se tem completa certeza dos motivos que levam ao aumento da prevalência de alergias, o facto é que, uma vez instalada a alergia, alguns cuidados são mesmo necessários para reduzir a exposição do alérgico a agentes maléficos, como os alérgenos e microrganismos. Assim:

LIMPEZA DOMÉSTICA
– Limpe os principais locais da casa apenas com um pano húmido, evitando vassouras e espanadores;
– Não faça a cama logo ao acordar; deixe primeiro o colchão arejar um pouco;
– Lave as roupas de cama semanalmente, em temperatura acima dos 55oC;
– Conserte vazamentos e infiltrações num período máximo de 48 horas;
– Limpe focos de mofo com uma solução desinfetante, ou contrate profissional especializado para realizar o serviço;
– Evite carpetes e outros materiais porosos que acumulam poeira e microrganismos;
– Realize a limpeza e manutenção periódica de aparelhos de ar condicionado e outros equipamentos que acumulem água.
TABACO – Caso seja fumador, vale a pena investir em medidas para abandonar o hábito.  E, por princípio, não fume dentro de casa.
LOCAL DE HABITAÇÃO – Se possível, prefira morar em locais menos poluídos, afastados de grandes avenidas.
CONSULTAS – Realize consultas regulares ao seu médico alergologista, que poderá diagnosticar a qual(is) agente(s) tem sensibilidade, para melhor direcionar o tratamento.

Artigo:
Dra. Cristiane Minussi – Bióloga, PhD em fungos e bactérias.

Fontes:

  • World Allergy Week 2015: AIRWAY ALLERGIES The human and economic burden.
  • Um em cada cinco portugueses sofre de alergias. sapo.pt (10 de julho de 2010).

 

 MAIS QUALIDADE DE VIDA…blogpt01

 

 

 

 

 

 

 

Para a prevenção e alívio das crises alérgicas, a marca nacional Airfree lembra a importância de tratar o ar que se respira nos ambientes internos.

Os purificadores de ar que fabrica para o mercado nacional e exportação para cerca de 60 países promovem eficazmente a limpeza do ar, via de transmissão de alérgenos entre a fonte de contaminação e o alérgico, proporcionando-lhe melhor qualidade de vida.
Através do sistema patenteado Airfree Sterilization System, qualquer modelo Airfree esteriliza o ar a altas temperaturas no seu interior (sem no entanto aquecer os ambientes), até que 99% dos microrganismos – esporos de mofo no ar, bactérias, vírus, ozono, alérgenos do ácaro, da poeira, e outros poluentes transportados pelo ar, como os de animais e de pólen – sejam destruídos e o ar retorne, purificado, aos ambientes.

banner-airfree-ptPowered by Rock Convert