fbpx

Era uma vez num reino distante

Assim começavam muitas histórias da nossa mais tenra infância.
Ler, contar uma história aos mais novos, ensiná-los a amar os livros como amigos e uma porta aberta para o conhecimento é algo que deve perdurar através de gerações, não obstante os novos mundos para os quais as novas tecnologias os atraiam…

O Dia da Biblioteca Escolar em Portugal celebra-se a 26 de Outubro, com o objetivo de destacar a importância das bibliotecas escolares na educação e promover o gosto pela leitura…
Está inserido no Mês Internacional das Bibliotecas Escolares (MIBE), salientando o importante papel que elas desempenham nas escolas, como veículo de transmissão de conhecimento a crianças e jovens, não apenas através dos livros mas também das atividades que nelas se desenvolvem.
O tema definido pela International Association of School Librarianship (IASL) para 2015 é: A BIBLIOTECA ESCOLAR É SUPER!

Os convites da Rede de Bibliotecas Escolares
E, para este Dia, o Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares propõe dois desafios (“Toca a Tweetar” e “Celebrando o MIBE”), além de sugerir ações a desenvolver, tanto nas atividades do portal RBE, como na página do International School Library Month (ISLM) da IASL, que continua a apelar à participação em dois projetos: o Bookmark Project e o Skype Project. As bibliotecas escolares de todo o mundo são convidadas a enviar os seus testemunhos para a rubrica What people are doing for ISLM 2015.
O Programa Rede de Bibliotecas Escolares (PRBE) foi lançado em 1996 pelos Ministérios da Educação e da Cultura, com o objetivo de instalar e desenvolver bibliotecas em escolas públicas de todos os níveis de ensino, disponibilizando aos utilizadores os recursos necessários à leitura, ao acesso, uso e produção da informação em suporte analógico, eletrónico e digital.
Coordenado pelo Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares (RBE), o Programa articula a sua ação com outros serviços do Ministério da Educação e Ciência (MEC), direções de serviços de região, autarquias, bibliotecas municipais e outras instituições – universidades, centros de formação, fundações e associações nacionais e internacionais.

Informações sobre o Dia da Biblioteca Escolar em Portugal:
www.rbe.mec.pt

“O mercado da literatura infantojuvenil está em franca expansão”
Este Programa foi objeto de uma avaliação externa, realizada em 2008 pelo Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa / Centro de Investigação e Estudos de Sociologia (ISCTE/ CIES).

Falámos com a Dra. Elsa Pegado, socióloga do ISCTE, que esteve envolvida, entre 2007 e 2011 na avaliação do Plano Nacional de Leitura – PNL, cuja implementação decorreu em articulação com o Programa da Rede de Bibliotecas Escolares.

A socióloga ressalta a grande importância deste PNL, que abrangeu todos os alunos do pré-escolar até ao 3º Ciclo do sistema público, tendo ainda sido alargado a algumas escolas do ensino secundário …
“Foi e continua a ser uma ferramenta muito positiva para promover o contacto com o livro, através dos vários programas que o integram, como por exemplo a leitura orientada em sala de aula… – com títulos selecionados por uma equipa com preparação pedagógica, conforme os vários níveis de escolaridade.
“No âmbito do processo de implantação e decurso deste Programa visitámos escolas e bibliotecas escolares, falámos com professores e professores-bibliotecários e constatámos que os resultados foram desde logo muito positivos.”

Entretanto, numa altura em que as crianças se iniciam desde cedo nas Tecnologias de Informação, associando muitos estes novos desafios a um desinteresse pelo livro, a Dra. Elsa Pegado não partilha essa ideia…
“Acredito que uma coisa não é impeditiva de outra. Há, sim, uma diversificação dos tipos de leitura e dos formatos em que se lê, designadamente a possibilidade de ler um livro num tablet…
“Aliás, a julgar pelo número de obras que têm vindo a ser reeditadas, o que me parece é que o mercado da literatura infantojuvenil está em franca expansão, o que é um bom indicador de que os livros continuam de boa saúde.”

***

Resta acrescentarmos o que todos já sabem… Que independentemente das escolas cabe também a outros educadores da criança – pais e família – o incutir-lhe, desde cedo, hábitos de leitura.
E, em paralelo, controlar as horas de uso de aparelhos eletrónicos lá em casa.
Não há telemóvel, tablet ou computador que possa excluir o prazer de um livro à cabeceira. E, para os pais de filhos mais pequenos é inestimável o hábito de lhes ler à noite, antes de dormirem. Às vezes nem é preciso o livro, se o amor e imaginação do adulto forem capazes de contar uma história…
“Era uma vez…”

Agradecimentos:
Dra. Elsa Pegado – Socióloga do ISCTE
Texto:
Maria de Lurdes Godinho
MLG – Comunicação e Serviços

No combate ao mofo em Bibliotecas…
O PAPEL DO AIRFREE
Os esporos de mofos podem ser encontrados em diversos locais, sendo que o ar dos ambientes internos nunca está livre deles, mesmo após intensa limpeza. Assim, é importante que o bibliotecário se preocupe com a qualidade do ar da biblioteca, evitando a instalação do mofo.
O Purificador de Ar Airfree atua diminuindo a concentração de esporos no ar e auxiliando na prevenção desses fungos.
A marca está presente, com os seus aparelhos, na proteção dos acervos de várias instituições nacionais e estrangeiras, como a Torre do Tombo, Hemeroteca de Lisboa, Biblioteca Municipal de Évora, Arquivos da secretaria na Escola Secundária das Belas Artes António Arroio, Biblioteca Municipal de Dubai, entre outras.
[vimeo 111137119 w=500 h=281]

banner-airfree-ptPowered by Rock Convert
Close Menu