Crianças versus tabaco

Não é “pela sua saúde”… É pela das nossas crianças.

De uma forma ou doutra os não fumadores – e os fumadores que nos desculpem! – estão sempre sujeitos a apanhar com o fumo do cigarro alheio, ou “vestígios” dele…E isto porque sempre temos um familiar ou colega fumador.

Nesta área as estatísticas mostram um total desrespeito da população adulta em relação às crianças, já que as nossas estão entre os jovens europeus mais expostos ao fumo de tabaco, principalmente em casa!

O estudo que o demonstra foi realizado no âmbito do projeto Democophes, que pretende recolher dados acerca da exposição a poluentes e apoiar a definição de medidas políticas e a sua avaliação. Integrando 17 países europeus, entre os quais Portugal, envolveu mães com menos de 45 anos e crianças entre os 6 e os 11 anos.

Análises realizadas pela Unidade de Saúde Ambiental do Instituto de Medicina Preventiva (Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa) revelaram “que as crianças portuguesas estão incluídas no grupo das crianças europeias com níveis mais elevados de cotinina na urina, o que significa que se encontram entre as mais expostas a fumo de tabaco, e que é em casa, junto de familiares fumadores, que se encontram mais expostas”, disse à Agência Lusa a investigadora que coordenou o trabalho em Portugal.
Este estudo vem salientar o risco de que algumas doenças, como as respiratórias, são decorrentes da exposição crónica ao fumo de tabaco e ao fumo ambiental de tabaco (FAT), a que os mais novos são especialmente sensíveis.

É portanto fundamental que os adultos não fumem nos espaços internos onde haja crianças, seja em casa ou no carro, pois estas, especialmente as de pouca idade, são mais vulneráveis aos efeitos da exposição à poluição tabagística ambiental, principalmente dos pais.

O purificador do ar Airfree pode dar uma ajuda na redução da contaminação microbiológica do ar, diminuindo, designadamente, o cheiro residual do cigarro.

É um aparelho de grande valia em qualquer casa, seja ou não de fumadores, já que destrói fungos e bactérias que se desenvolvem no ambiente doméstico…

Mas não pode substituir o bom senso e o respeito. E esses, sobretudo em relação às crianças, passam por não fazer delas fumadores passivos!