fbpx

Vencer a diabetes: É o tema deste dia mundial da saúde

 

Este ano a OMS elege, para celebrar o Dia Mundial da Saúde, “Beat diabetes” (Vencer a Diabetes). Uma doença que, quando controlada, permite que se tenha uma vida normal e saudável… Mas é melhor prevenir.

 Como-diminuir-diabetes

O Dia Mundial da Saúde / 2016, é dedicado este ano ao tema da diabetes, que afeta mais de 1 milhão de portugueses entre os 20 e os 79 anos. (Fonte: http://spd.pt/images/ond_2015.pdf).

A Organização Mundial de Saúde (OMS) assume que o problema tem escala mundial, como demonstram os números revelados no primeiro relatório global sobre a Diabetes. Entre nós, a Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal (APDP) tem sido o braço direito do Programa Nacional para a Diabetes, da Direção-Geral da Saúde, na luta e na prevenção desta doença que afeta massivamente a humanidade.

 

O que é a diabetes?

 

A diabetes é uma doença crónica caracterizada pela produção insuficiente de insulina ou por uma incapacidade do corpo em utilizá-la (insulinorresistência), resultando numa deficiente capacidade de utilização pelo organismo da principal fonte de energia, a glucose, e consequente aumento dos níveis de glucose (açúcar) no sangue.

A insulina é uma hormona (“hormona da vida”) que controla a entrada da glucose para as células do corpo e que, quando insuficiente, ou não usada como deveria, faz com que a glicose se acumule no sangue em vez de entrar nas células. Como consequência, estas não conseguem funcionar corretamente.

Uma doença que “cresce”…

De acordo com o primeiro relatório global sobre a Diabetes, da OMS, a prevalência e o número de pessoas com diabetes continua a aumentar em todos os países do mundo. Em 2014, 422 milhões de adultos (ou 8,5% da população) tem diabetes, comparativamente com os 108 milhões (4,7%) registados em 1980.

Os dados apresentados no Relatório do Observatório Nacional da Diabetes (“Diabetes, Factos e Números – 2015”) revelam, quanto ao ano de 2015, uma prevalência da diabetes, para a população entre os 20 e os 79 anos, de 13,1%, o que corresponde a mais de 1 milhão de pessoas, das quais 43% ainda não diagnosticadas.

 

Prevenir a diabetes

 

Apesar de alguns tipos de diabetes terem origem genética, a sua incidência e prevalência em adultos, jovens e crianças, é também fruto dos estilos de vida que incluem a má alimentação e o sedentarismo.

 

Os sintomas da diabetes são muitas vezes silenciosos e mascarados por outros problemas de saúde, pelo que nem sempre é fácil identificar a doença de uma forma precoce. Mas embora a diabetes não tenha cura, tem tratamento e pode ser controlada; a sua gestão previne complicações e, numa grande percentagem dos casos, a prevenção é possível.

 

A prevenção e o controlo da diabetes envolvem cinco pontos importantes: conhecer bem a doença, adotar uma alimentação saudável e equilibrada, praticar exercício físico de forma regular, controlar periodicamente os níveis de glicemia no sangue e tomar a medicação quando prescrita pelo médico.

É importante que o diabético conheça bem o seu tipo de diabetes; só dessa forma pode cumprir e melhorar o tratamento, já que a forma como lida com a sua doença, será o principal fator de sucesso.

Tome nota!

 Um bom controlo da glicemia vai permitir que a pessoa tenha uma vida perfeitamente normal e saudável.

Faça rastreios frequentemente… – em qualquer farmácia ou centro de saúde pode fazer uma medição de glicemia. Esteja atento ao seu corpo e a possíveis sintomas, como a sede excessiva, o aumento de peso, cansaço, visão turva, etc.

 

APDP –  90 ANOS AO SERVIÇO DOS DIABÉTICOS

 

A Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal acaba de celebrar, em março, o seu 90º aniversário ao serviço da prevenção, aconselhamento, controlo e tratamento da diabetes.

A sua Clínica Diabetológica, uma das maiores da Europa neste setor, presta cuidados integrados e diferenciados em áreas que cobrem, além da diabetologia propriamente dita, a nutrição, a pediatria, a oftalmologia, a cardiologia, a podologia, a nefrologia, a urologia, a saúde reprodutiva, a psicologia / psiquiatria, cirurgia oftalmológica e a hemodiálise.

Em http://www.apdp.pt os interessados podem conhecer o vasto mundo da doença e ter informações sobre cursos e outras atividades desta associação, no âmbito do doente diabético.

Em complemento, esta associação publica também diversas revistas sobre temas específicos, dirigidos a diferentes faixas etárias, além da trimestral “Diabetes”.

Era uma vez, em 1926…

 

HISTÓRIA DA APDP

 Quando, em 1926, o médico Ernesto Roma criou a “Associação Protectora dos Diabéticos Pobres”, lançava os alicerces do que viria a ser a APDP – Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal e a mais antiga de todas as associações de diabéticos, do mundo.

Nascido em 1886, licenciou-se em Medicina na Escola Médica de Lisboa e cedo viajou para acumular experiências, nalgumas das melhores clínicas mundiais.

Foi em 1922 que, estagiando em Boston, no Massachussetts General Hospital, testemunhou a “revolução da insulina”, visitando a mais famosa e importante clínica diabetológica do Mundo – a Clínica Joslin – para onde os descobridores da insulina (Banting e Best, McLeod e Collip) tinham enviado os primeiros frascos do produto.  Assistiu, pois, aos “primeiros milagres” desta hormona, salvando a vida e restituindo a saúde às crianças com diabetes, até então condenadas a uma inevitável morte a curto prazo. De regresso a Portugal, foi desde logo reconhecido e consagrado como diabetologista e para o seu consultório convergiram as pessoas com Diabetes a quem ele instituía a insulinoterapia.

Em 1926, frustrado pelo escândalo das mortes de pessoas pobres, com diabetes, e que sem qualquer assistência pública não tinham meios de adquirir a insulina, ele mobilizou gente da burguesia, seus doentes e amigos, e criou a “Associação Protectora dos Diabéticos Pobres” – hoje a “APDP”, Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal.

 

A PALAVRA AO SEU PRESIDENTE…

 

“A diabetes é considerada a epidemia do Séc. XXI, um desafio de saúde pública e política, que implica medidas de urgência ao nível da prevenção, relacionadas com a alimentação, a atividade física, o urbanismo, e exige, como sugere a OMS, a mobilização de toda a sociedade”, alerta Luis Gardete Correia, presidente da APDP.

Contactos úteis:

Telf.: 21 381 61 00

Email: diabetes@apdp.pt

 

DIA MUNDIAL DA SAÚDE | PROGRAMA

7 de abril

– Parque da Quinta das Conchas, Lisboa

10h00: Lançamento da V Edição da “Corrida Solidária”

10h30: Estafetas (em que os testemunhos são mensagens relativas à Educação para a Saúde)

11h00: Abertura das demonstrações de atividades físicas e desportivas: Redes de Vólei, Cortebol, Insuflável, Jogos tradicionais.

11h30: Aula de Zumba

12h00: Rastreios (incluindo a aplicação do questionário de risco da diabetes)

 

– Edifícios de Lisboa

18h00: Iluminação a azul, sendo a cor identificativa da Diabetes, do Edifício dos Paços do Concelho, da Estátua do D. José na Praça do Comércio e da Fonte do Império, em Belém.

 

– Assembleia da República, Lisboa

14h30: Participação no programa oficial das comemorações do Dia Mundial da Saúde na Assembleia da República na presença do Ministro da Saúde e do Primeiro-Ministro.

 

– Escola da Diabetes (Rua Sol ao Rato, n.º 11, Lisboa)

Durante todo o dia: O ginásio da Escola da Diabetes vai estar aberto a todos aqueles que mostrem interesse em ter uma experiência de atividade física com a equipa de professores da APDP.

 

8 de abril

– Mercado da Ribeira, Lisboa

9h00 às 17h00: Autocarro para rastreio gratuito e sensibilização para a Diabetes

12h45: Almoço de apresentação da Dieta Mediterrânica (Património Mundial e Imaterial da Humanidade da UNESCO desde 2013) com o Secretário de Estado da Saúde, Manuel Delgado, no Mercado da Ribeira.

14h30: Diálogo com os Cidadãos sobre a Saúde em conjunto com o Secretário de Estado da Saúde, Manuel Delgado, e o Presidente da APDP, Luis Gardete Correia

 

– APDP (Rua Rodrigo da Fonseca, 1 – Lisboa)

17h00: Inauguração do novo Museu da APDP, com a presença do Ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, e do Comissário Europeu Vytenis Andriukaitis, entre outras personalidades.

 

Para mais informações, p.f. contacte:

Joana Leitão

Tel: (+ 351) 218 295 736

Tlm: (+ 351) 916 319 820

 

 

A DIABETES NA EUROPA

 

No âmbito do Dia Mundial da Saúde, a Federação Internacional da Diabetes considera que “é tempo de atuar global e localmente para vencer a diabetes na Europa”. E lança alguns dados alarmantes sobre a realidade europeia:

 

– 60 milhões de adultos vivem com diabetes na Europa, sendo que mais de um terço não estão diagnosticados. Estima-se que 90% destas pessoas têm diabetes tipo 2.

– 32 milhões de pessoas estão em risco de vir a desenvolver diabetes tipo 2.

– 70 milhões de pessoas, ou 11% da população adulta europeia, virá a ter diabetes em 2040, se nada for feito.

– 627.000 adultos morreram com diabetes em 2015, mais de um quarto destes com idade inferior aos 60 anos.

– 140.000 crianças (0-14 anos) vivem com diabetes tipo 1.

– 21.600 crianças são diagnosticadas com diabetes tipo 1, todos os anos.

– 145 biliões de euros foram gastos no tratamento da diabetes em 2015.

 

Pesquisa e coordenação de textos:

 

MLG – Comunicação e Serviços

mlg@mlg.pt

banner-airfree-ptPowered by Rock Convert
Close Menu