Sabe por que é que espirramos
Espirramos para expelir microrganismos potencialmente perigosos à nossa saúde. Mas há outros motivos. Conheça-os, neste artigo.

Sabe por que é que espirramos

Espirramos para expelir microrganismos potencialmente perigosos à nossa saúde. Mas há outros motivos. Conheça-os, neste artigo.

Uma forma rápida e eficaz de expulsar microrganismos invasores. Assim pode ser definido o espirro, um sistema de defesa involuntário que faz com que a boca e o nariz lancem intrusos para fora do nosso corpo, a uma velocidade superior a 150 quilómetros por hora!

De forma geral, esses invasores são bactérias e vírus causadores de gripes, constipações e outras doenças. No entanto, sobretudo no caso dos alérgicos, muitas outras partículas podem assumir essa responsabilidade, tais como os  ácaros do pó, esporos de fungos e o pólen. Assim, quando se inspira algo indesejado o nosso organismo vai, automaticamente, tentar livrar-se dos “visitantes” não convidados, sejam ele transmissores de doenças ou não. Por isso devemos ter em conta os cuidados necessários para evitar contaminar outras pessoas quando estamos doentes, inclusive no caso da Covid-19. 

O percurso de um espirro

Quando uma substância irritante entra na mucosa nasal ela irá estimular o nervo trigémeo – cujos ramos chegam às regiões dos olhos, maxilar e mandíbula. Esse nervo, por sua vez, desencadeará uma resposta do sistema nervoso para as outras áreas do corpo que irão ajudar no espirro, como as cordas vocais e as musculaturas do diafragma, peito, abdómen, e das costas e garganta. Na sequência dão-se reações como uma inspiração profunda, o fechar os olhos, e o aumento da pressão intrapulmonar. E por fim ocorre uma repentina libertação do ar pela boca e nariz, eliminando as substâncias irritantes presentes.

É assim que se forma o tão conhecido “atchim!”, que pode ser discreto ou escandaloso, mas estará sempre cheio de gotículas expelidas.

Por que espirramos?

Os motivos para o espirro podem ser reações alérgicas, infeções virais ou bacterianas, mudanças na temperatura e ar muito seco. Acredita-se que quando espirramos mais de uma vez é porque a primeira não foi forte o suficiente para expulsar os alérgenos causadores do espirro. Mas nos casos de alergia ou inflamações é comum espirrar várias vezes, e em sequência. 

Além de uma resposta para expelir microrganismos potencialmente perigosos, a resposta à pergunta “por que é que espirramos” também pode estar numa reação a estímulos luminosos. O chamado espirro ou reflexo fótico ocorre quando uma luz forte (elétrica ou do sol) bate, repentina e diretamente nos nossos olhos. Ainda não se sabe exatamente por que é que isso acontece, mas uma das teorias é de que a proximidade do nervo óptico e do trigémeo acabem por resultar numa ação de ambos, cada um protegendo o seu espaço: olhos e nariz!

CUIDADOS A TER AGORA E SEMPRE: 

– Não prender o espirro!

Apesar de comum, o espirro exige alguns cuidados para não se tornar um incómodo ainda maior. 

Em primeiro lugar, não se deve “segurá-lo”; quando sentirmos que vamos espirar devemos deixá-lo sair livremente. Isto porque tentar contê-lo pode originar danos em vasos sanguíneos (principalmente do nariz, olhos e ouvidos), lesões nos ouvidos (tímpanos) ou até situações mais graves, como aneurismas cerebrais.

– Etiqueta respiratória

Também é importante manter a higiene ao espirrar (etiqueta respiratória). Esse cuidado é necessário, sobretudo se estivermos com alguma infeção como uma constipação, gripe, ou mesmo a Covid-19, pois num espirro as gotículas infetadas e projetadas pela boca e nariz podem alcançar uma distância de mais de 2 metros. Além disso, elas também representam um risco de contaminação através do contacto com objetos, ao assentar em superfícies frequentemente tocadas – bancadas, maçanetas, controles e telemóveis, entre outras. Assim, podem infetar outras pessoas que encostem as mãos, contaminadas, à boca, nariz e olhos. 

– Lenços & cotovelos

Por isso é recomendável trazer sempre lenços descartáveis para cobrir a boca e o nariz ao espirrar ou tossir, e em seguida lavar as mãos com água e sabão pelo menos durante 20 segundos, ou higienizá-las com álcool 70%. Se não tiver lenços deve direcionar o seu espirro para a dobra do cotovelo, mas de preferência espirrar noutra direção e longe das outras pessoas.

Já agora, e a propósito, em tempo de pandemia não é muito aconselhado cumprimentar com o toque de cotovelos, não só pelo motivo acima, mas também pela proximidade a que isso abriga.

E sempre que possível, quando estiver doente, fique em casa e sem contacto com outras pessoas.

Conselhos para a relação do pó & alergias, com os espirros

Quem for alérgico ou tiver filhos que o sejam, saberá que a exposição a cheiros fortes, poeira, pelo de animais domésticos, ácaros e mofos significa que o espirro está para chegar…

Frente ao quadro alérgico é fundamental descobrir qual ou quais são os fatores (gatilhos) que desencadearam a crise, para evitar o contacto com esses alérgenos.

Algumas dicas básicas para reduzir a frequência das alergias passam por:

– Arejar a casa / Substituir a vassoura pelo aspirador ou pano húmido / Evitar acumular roupas nos armários durante muito tempo / Evitar cheiros fortes, como os de alguns perfumes, sabonetes, desodorizantes e produtos de limpeza. 

Ficar longe do fumo do tabaco e não deixar que animais de estimação durmam nos quartos, são outras recomendações. 

Além disso, outras medidas que incluam medicação podem ser necessárias para o controle dos sintomas. 

Agora que já sabe por que é que espirramos, tenha em mente que a companhia constante do espirro na sua vida pode ser um sinal de que sofre de alguma alergia, incluindo a rinite alérgica.

banner-airfree-ptPowered by Rock Convert