fbpx

Em vez do cigarro, escolher um vício saudável

Inserido no “Mês de Sensibilização para o Cancro do Pulmão” assinalou-se, a 17, o Dia Mundial do Não Fumador. Não fumar é, assim, a palavra de ordem para quem quiser viver a vida com saúde, o maior número possível de anos. Celebremos, sempre, os objetivos desse Dia.

“As pessoas podem encontrar a paixão naquilo que fazem, quer seja a nível profissional ou nas suas atividades dos tempos livres, mas não o devem fazer através de substâncias devastadoras para a saúde…”
As palavras são do Dr. José Oliveira, técnico da Pulmonale – Associação Portuguesa da Luta Contra o Cancro do Pulmão, que contatámos a propósito da Campanha que lançaram recentemente, dirigida aos jovens e adultos jovens.
O especialista reforça que não se pode resumir o gosto pela vida ao prazer ilusório que o tabaco proporciona… admite que o cigarro pode provocar algum prazer – não é por acaso que ele é um produto aditivo, que gera dependência – mas acredita que para o (mau) hábito conte muito, sobretudo entre os mais jovens, o desejo de se “identificarem” com a pessoa adulta, numa afirmação de autonomia e liberdade…

“Apaixona-te pela vida. Não fumes!
Informa-te sobre o cancro do pulmão”

A presente Campanha, lançada no final de Outubro, alerta para os perigos do tabaco, responsável pela maioria dos casos de cancro do pulmão, sendo que dez novos surgem por dia, em Portugal.
“Apaixona-te pela vida. Não fumes! Informa-te sobre o cancro do pulmão” – é o tema da campanha protagonizada por figuras públicas, como o campeão nacional de surf Frederico Morais, o apresentador Manuel Luís Goucha, o ator Ricardo Carriço, o treinador de rugby Tomaz Morais e o futebolista William Carvalho.
Todos deixam a mensagem “deixa de fumar, escolhe viver a vida, a natureza, o surf, o futebol, as artes, o rugby e tantas outras coisas saudáveis. Não pegues no cigarro. Escolhe um ‘vício’ saudável”.
O presidente da associação Pulmonale, Prof. Doutor António Araújo, refere que “o objetivo da campanha é trazer para o conhecimento público os sinais e sintomas do cancro do pulmão e os malefícios do tabaco e das suas implicações”.
O oncologista adiantou que a campanha, que assinala o mês de sensibilização para o cancro do pulmão (Novembro), se destina ao público em geral, mas particularmente às camadas mais jovens “de modo a alertá-los para a relação tabaco/cancro”.

Fumar para ser aceite… e ser “fixe”
Em Portugal, os jovens começam a fumar entre os 15 e os 18 anos, sendo objetivo da campanha o de apelar para que “não iniciem o consumo de tabaco ou, se já iniciaram, deixem de fumar”.
Sobre as razões deste comportamento dos jovens, António Araújo afirma que se trata de uma forma de pertencerem a grupos e serem considerados “fixes”.
“O tabaco é uma droga que provoca habituação e dependência”, mas é socialmente aceite e os jovens “veem muito o tabaco como uma droga facilitadora de pertencerem aos grupos e serem fixes, no fundo, a serem adultos”, disse, sublinhando que as ações de sensibilização tentam desmontar esta imagem, fazendo-lhes compreender que “levar uma vida saudável, não fumar e praticar exercício é muito mais importante” do que fumar.
Por outro lado, o facto de o cancro do pulmão e as outras doenças associadas ao tabaco surgirem 10, 15 ou mais anos depois de começarem a fumar leva os jovens a não associarem “o risco de desenvolverem a doença ao consumo de tabaco e acaba por não ser interessante deixar de fumar”.

Em Portugal são diagnosticados, por ano, cerca de 4.000 novos casos de cancro do pulmão e registadas cerca de 3.500 mortes.

 O tabaco está implicado em 85% dos casos desta doença, mas também noutras patologias, como a doença pulmonar obstrutiva crónica, enfisema pulmonar e infeções respiratórias baixas, tuberculose pulmonar, doença cardíaca isquémica e doença cerebrovascular.
O cancro do pulmão pode ser assintomático e a sua primeira manifestação pode surgir sob a forma de metástase, o que explica que a sobrevida aos cinco anos seja no máximo de 15%.
Por isso, as pessoas têm de estar mais atentas a alguns sinais como tosse, expetoração, perda de peso, presença de sangue na expetoração, rouquidão, dor persistente no tórax.

FIGURAS PÚBLICAS DIZEM “NÃO FUMES!”
A atual campanha da Associação Portuguesa de Luta Contra o Cancro do Pulmão conta com a “presença” inestimável de figuras públicas, designadamente do desporto, teatro e TV.
São rostos bem conhecidos de todos nós, admirados por muitos e com quem pode, assim, acontecer uma identificação em atitudes de vida – neste caso, a de não fumar.

O futebolista William Carvalho dá a cara por esta campanha, enquanto o surfista Frederico Morais e o ex-selecionador de râguebi, Tomaz Morais, são outros rostos do Desporto envolvidos na sensibilização contra o tabaco.

Outras figuras bem conhecidas do espetáculo, como Manuel Luís Goucha (apresentador) e Ricardo Carriço (ator), participam nesta iniciativa da Pulmonale para o mês de novembro, intitulada “Mês de Sensibilização para o Cancro do Pulmão”…
“Faço um apelo a todos vós para que não fumem porque podem ter uma vida saudável sem entrar por esse caminho [de fumar]”, aconselha William Carvalho, que admite nunca ter fumado um cigarro.

Sob o slogan “Não Fumes! Prefere paixão pela Vida”, a campanha alerta ainda para o facto de o cancro do pulmão ser a primeira causa de morte oncológica no homem e a segunda na mulher, numa doença que tem quatro mil novos casos por ano só em Portugal.

Agradecimento:
– PULMONALE – Associação Portuguesa de Luta Contra o Cancro do Pulmão
ajuda@pulmonale.pt

Texto:
MLG – Comunicação e Serviços
mlg@mlg.pt

banner-airfree-ptPowered by Rock Convert
Close Menu