Como evitar as alergias na pele?
como identificar e tratar os sintomas das alergias na pele

Como evitar as alergias na pele?

Vermelhidão, inchaço e comichão… Saiba como identificar e tratar
os sintomas das alergias na pele

Cada pessoa é um ser único, e esta não é uma afirmação (apenas)
motivacional. Os nossos organismos são distintos e reagem de forma
especial a diversas situações. E se é verdade que todas as nossas escolhas
refletem a nossa individualidade, como poderia ser, portanto, diferente com o nosso corpo?

Herança genética & fatores ambientais

A alergia acontece quando o sistema imunológico reage a certas
substâncias (alérgenos), provocando inflamação. É também chamada de
reação de hipersensibilidade. A herança genética é, sobretudo, a base para existência da alergia, mas ela só será desencadeada com a exposição a
fatores ambientais. São eles, as substâncias encontradas principalmente nos ácaros, pólenes, animais de estimação, insetos, alimentos, medicamentos e mofos. Naturalmente, os alérgenos variam de pessoa para pessoa, por isso o ideal é manter o máximo possível os ambientes limpos, para evitar contactos nocivos.

Irritações menores… & maiores.

A alergia atinge indivíduos em qualquer faixa etária e a sua presença
abrangente faz com que seja considerada um problema de saúde pública.
A gravidade das alergias, contudo, varia de pessoa para pessoa e pode causar desde uma irritação menor, à anafilaxia, uma emergência potencialmente fatal.

A pele é o maior órgão do corpo humano, e também o mais exposto aos
agentes externos. Desde a qualidade do ar que respiramos, até mordidas
de insetos, contacto com roupa, com outras pessoas, suor, produtos
químicos, tudo pode desencadear a reação alérgica. As consequências vão desde uma pequena irritação até à inflamação da epiderme. E, regra geral, resultam em comichão, vermelhidões, manchas, bolhas, caroços e inchaços.

Tipos de alergias da pele

Entre os tipos mais comuns de alergias da pele, podemos citar:

Urticária

Lesão na pele que se pode manifestar em qualquer região do corpo,
até no rosto, lábios, língua, garganta e orelhas. Entre as causas estão
produtos químicos, látex, picadas de insetos, luz solar, doenças autoimunes, doenças hematológicas, distúrbios hormonais, e medicamentos. É dividida entre casos agudos e crónicos, podendo durar poucos dias ou semanas. Como se manifesta: placas avermelhadas, com comichão intensa e de localização variável.

Como se manifesta: placas avermelhadas, com comichão intensa e de
localização variável.

Angiodema

Reação alérgica semelhante à urticária, mas que acontece nas camadas
mais profundas da pele. Pode ser desencadeada por fatores que incluem a
genética, doenças autoimunes e infecciosas, disfunções da tiróide, alguns
tipos de cancro e fatores ambientais, como altas e baixas temperaturas.
Contudo, o risco de aparecimento é maior em pessoas que já tiveram um
quadro prévio de urticária e são reexpostas à substância que desencadeou
o problema na primeira vez.

Como se manifesta: manchas vermelhas que causam comichão. Em casos
mais graves pode atingir mucosas e camadas mais profundas da pele,
causando cólicas abdominais, problemas para respirar, dor, calor e
inchaço nos lábios, à volta dos olhos, mãos, pés e até na região genital.

Dermatite de contacto

A dermatite de contacto alérgica é uma resposta imunológica de pessoas
que apresentam sensibilidade a determinados produtos, como
detergentes, champôs, metais, vernizes, medicamentos de uso tópico,
luvas de látex, entre outros. Pode ser classificada em dois tipos: irritativa e
alérgica. Como se manifesta: erupções cutâneas e bolhas na pele.

Dermatite atópica (eczema atópico)

Acredita-se que a predisposição genética e o histórico familiar de atopias
influenciam principalmente o aparecimento da enfermidade, e que os fatores de risco funcionam como gatilho das crises. São eles: substâncias irritantes (pó doméstico, conservantes, produtos de limpeza e usados na lavagem das roupas), tecidos de lã e sintéticos, frio intenso, ambientes secos, calor e transpiração, stress emocional.

Como se manifesta: pele seca, vermelha e irritada, além de comichão.

Alergia a picada de insetos (estrófulo)

Embora a maioria das alergias não possa ser curada, os tratamentos
ajudam a aliviar os sintomas. Para tratar, é importante descobrir e
resolver a causa, mas o sintoma pode ser aliviado com um antialérgico ou
pomada hidratante ou anti-inflamatória, prescritos pelo clínico geral ou
dermatologista. Além disso, outros cuidados importantes passam por manter os ambientes limpos, evitar o contato direto com substâncias químicas, não fazder demasiada exposição ao sol e manter uma rotina saudável.

Tratamento e cuidados para evitar alergias na pele

Embora a maioria das alergias não possa ser curada, os tratamentos
ajudam a aliviar os sintomas. Para tratar, é importante descobrir e
resolver a causa, mas o sintoma pode ser aliviado com um antialérgico ou
pomada hidratante ou anti-inflamatória, prescritos pelo clínico geral ou
dermatologista.

Outros cuidados importantes passam por manter os ambientes limpos,
evitar o contato direto com substâncias químicas, não fazder demasiada
exposição ao sol e manter uma rotina saudável.

Para mais conteúdo exclusivo, clique aqui!
Site oficial Airfree: clique aqui
banner-airfree-ptPowered by Rock Convert