Como é que a asma afeta as crianças?

Como é que a asma afeta as crianças?

A asma é a doença crônica mais comum em crianças, sendo a terceira causa de hospitalização em menores de 15 anos, segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS). Anualmente, estima-se que haja cinco casos novos de asma por mil habitantes e um gasto em saúde perto de 3,2 bilhões de dólares para tratar a doença.

A asma ocorre quando as vias respiratórias ficam inflamadas e se estreitam, dificultando o fluxo de ar. De modo geral, ela tem suas primeiras manifestações na infância e pode prevalecer para o resto da vida ou se amenizar. Apesar de não ter cura, tem como ser controlada, garantido boa qualidade de vida aos seus portadores. O problema é que a doença ainda é subdiagnosticada ou subtratada, o que impede as pessoas de terem a estabilidade que o tratamento adequado possibilita.  

Um fator de risco importante para o desenvolvimento da asma é a soma da predisposição genética com exposição ambiental a substâncias com potencial de provocar uma reação alérgica ou irritar as vias aéreas. Tais substâncias podem ser alérgenos, fumaça de cigarro, irritantes químicos, poluição do ar, ou ainda outros gatilhos como ar frio, uma excitação emocional extrema, exercícios físicos e medicamentos.

Crianças com asma

O diagnóstico da asma em crianças pequenas, e consequentemente, o manejo da doença é algo muito complexo, pois a ocorrência de respiração ofegante (chiado) nessa fase pode ter diversas origens (a asma é apenas uma delas). Além disso, metade das crianças em idade pré-escolar apresentam esse sintoma, mas quando chegam à idade escolar ele costuma desaparecer, independente de tratamento.

A fim de tentar resolver essa questão, o médico observa não só o histórico familiar, os achados físicos e a avaliação clínica, como também a ocorrência e frequência dos diversos sintomas padrões da doença, como tosse, falta de ar, respiração ofegante, sintomas noturnos e limitação de atividades. Feito o diagnóstico, temos um segundo fator agravante: a falta de referências científicas sobre o real funcionamento de medicamentos para essa faixa etária.

Segundo manuais médicos nacionais e internacionais, o principal objetivo direcionado para crianças é o de controlar a Asma Induzida por Exercício (EIA), já que ela afeta crianças e adolescentes ao longo de sua trajetória de desenvolvimento.  Esse tipo de asma ocorre em pessoas com grande sensibilidade de vias áreas, de modo que há um estreitamento agudo delas em decorrência de grande esforço físico.

Asma e outras doenças

Devido ao nosso estilo de vida moderno, a urbanização, poluição do ar e a diminuição da biodiversidade, tem havido um aumento nos casos de asma alérgica. Os sintomas são sibilos, tosse, falta de ar e opressão torácica, os quais podem variar em intensidade ao longo do tempo.

Alguns vírus de doenças respiratórias como o Rinovírus, o Vírus Sincicial Respiratório (VSR) e o Influenza também causam respiração ofegante (chiado) e podem levar ao desenvolvimento da asma. Infecções virais no sistema respiratório, sobretudo ocasionadas pela gripe (Influenza), tendem a causar mais de 80% das irritações agudas de asma. Além disso, asmáticos possuem mais riscos de ficarem gripados e apresentarem consequências mais severas da doença, bem como o dobro de chance de desenvolver infecções virais no trato respiratório inferior.

Tratamento

Uma das formas de se controlar a asma é evitar os gatilhos que ativam a inflamação das vias aéreas. Mesmo assim é importante lembrar que provavelmente ainda será necessário fazer uso de medicamentos. O alívio dos sintomas pode ser alcançado com medicações de curto prazo, porém os asmáticos com sintomas persistentes devem fazer uso de medicamentos de longo prazo diariamente. Adicionalmente, para se controlar o avanço da asma severa e diminuir a exacerbação são utilizados inaladores com corticoesteroides.

Os tratamentos estão baseados na avaliação dos parâmetros pulmonares, em achados clínicos no paciente e em seu histórico da doença. Os desafios nesse processo estão relacionados à origem das exarcebações da asma, isto é, qual foi a causa das irritações. No caso da sensibilidade ao pólen, o tratamento tende a ser mais fácil, enquanto para infecções virais tende a ser mais complexo. A razão é que cada condição responde diferente aos medicamentos, sejam eles ingeridos ou inalados e cabe ao médico avaliar e remediar os casos um a um.

Por isso, é tão importante ter o diagnóstico correto da asma infantil para entender quais as causas dos sintomas e como preveni-los.

banner-airfree-ptPowered by Rock Convert