Aumento das alergias

Vimos anteriormente explicações de especialistas sobre o aumento global das alergias. Mas outra teoria é também apresentada pelos homens da Ciência: que a culpa é de uma “falta de exposição à Natureza”!
Os dados não deixam margens a dúvidas. Em 1980, 10 por cento da população ocidental sofria de alergias. Hoje a incidência atinge os 30%.

E se em 2010, uma em cada 10 crianças era diagnosticada como asmática, essa percentagem é atualmente de uma em cada 3.

Quanto à taxa de mortalidade resultante dessa condição também tem vindo a aumentar consideravelmente.

Falta de “exposição à Natureza”…

É o resultado de estudos que dizem que a higiene, embora reduzindo a nossa exposição a bactérias nocivas, também a limita a microrganismos benéficos!

Sobre estas “bactérias benéficas” para a saúde humana, concluem também que são encontradas em maior abundância em ambientes rurais, onde aumentam a resposta imunológica a alérgenos.

Um estudo realizado na Finlândia afirma que “a falta de exposição à Natureza pode estar a aumentar a incidência da asma e outras alergias entre moradores das cidades”, teoria apresentada igualmente por um cientista da Universidade de Helsínquia: “Apesar de existirem micróbios em todo o lugar, inclusive nas áreas urbanas, os micróbios de ambientes naturais são mais benéficos para nós.”

Concluem assim que “a urbanização pode ser vista como uma oportunidade perdida, para muitas pessoas, de interagir com o meio natural e sua biodiversidade, inclusive as comunidades de micróbios.”

ALERGIA É O MAIOR PROBLEMA DO SÉCULO XXI

(E deve piorar com o decorrer do Século…)

Em conclusão, devido às mudanças do clima a nível mundial, ao maior padrão de higiene e à industrialização das nações em desenvolvimento, as alergias estão a tornar-se prevalente, mais complexas e agressivas, independentemente das estações do ano, afetando a qualidade de vida e a produtividade no trabalho , de tal forma que são uma das mais frequentes razões da procura de cuidados médicos.
E se não é possível reverter a tendência global de urbanização, é fundamental, no entanto, que os governantes pensem nas  opções para minorar o problerma, preservando áreas naturais através de um planeamento das cidades que inclua espaços verdes e infraestrutura verde.

PURIFICAR É PRECISO!

Entretanto, nos ambientes internos onde, como sabemos, a poluição é muito maior do que nas ruas das grandes cidades, podemos ainda recorrer a um purificador do ar para tornar mais respirável o ar das escolas, escritórios, edifícios públicos e, claro, das nossas casas.

Será a possível resposta contra os materiais (sem B. I.) frequentemente utilizados na Construção e Decoração – com substâncias químicas nocivas – sobreaquecimento dos espaços, ventilação deficiente de alguns edifícios, etc…


POR CÁ
Mais microrganismos nas praias…

 

Mas agora não são marinhos; vêm pelo ar e chegam do Norte de África!  As autoridades estão já a alertar as populações, informando que são mais suscetíveis as crianças, os idosos, e os que já sofrem de alergias, designadamente os asmáticos.

E aconselham estes grupos a permanecer em casa, de preferência com as janelas fechadas…

Complicado, não é? Em tempo de férias e maiores atividades ao ar livre, é uma nova situação a resolver. Decididamente este tem sido o Verão de todos os sobressaltos – das microalgas às pragas de mosquitos…

O Ambiente anda zangado connosco!  🙁

Vamos tentar protegê-lo um pouco mais? 🙂

banner-airfree-ptPowered by Rock Convert
Close Menu