Ácaros, os grandes vilões da rinite alérgica.

Já vimos que os pólens são os grandes responsáveis pela rinite sazonal, específica dos
meses de Primavera. Já a rinite alérgica perene está associada à exposição crónica a alergénos, como os que estão presentes dentro de casa… Os ácaros!!!’

Quando a rinite é do tipo perene / persistente, ela perdura pelo menos em 9 meses do ano, sendo particularmente dolorosa de suportar por aqueles que dela sofrem. De facto, os seus sintomas, além de bastante incómodos afetam a qualidade de vida dos pacientes, já que entre outros problemas prejudicam a qualidade do sono, aumentando o cansaço e afetando a concentração e desempenho, na escola e no trabalho. Além disso, para existir o controlo da crise alérgica são necessários medicamentos, algumas vezes dispendiosos e que podem ter efeitos colaterais desagradáveis.

Sabe-se hoje que 25% de todas as alergias são provocadas por ácaros de poeira doméstica, bem como 50% de todos os males asmáticos são atribuídos a esses ácaros.

E também que 5% de todas as pessoas são alérgicas ao pó!

Os ácaros do pó da casa são considerados em todo o mundo, particularmente nos países ocidentais e industrializados, como a principal causa de alergias do aparelho respiratório.

Ciclo de Vida do Ácaro

Não deixe o pó acumular…

 Os ácaros da poeira são aracnídeos (pertencem  à classe das aranhas) e só podem ser vistos através de um microscópio.

O seu ciclo de vida é de 2 a 3,5 meses e o seu habitat é doméstico, gostando eles particularmente das fibras naturais existentes nas carpetes, tapetes e roupas de cama.

A temperatura e a humidade são igualmente importantes e justamente nos climas tropicais as condições são as mais favoráveis (temperatura entre 10-32 Celsius e humidade relativa entre 60-70%) para o seu desenvolvimento.

Alguns ácaros são parasitas, mas os mais graves para as alergias respiratórias são espécies de vida livre, comumente encontrados no pó de colchões, travesseiros, móveis e pisos das casas.

O seu desenvolvimento é favorecido pela humidade relativa do ar, por uma reduzida ventilação e pelo acumular de pó.

Infestações por ácaros

(E nem precisam estar vivos!…)

 Por tudo isto, as infestações por ácaros são muito comuns. E, quer estejam vivos ou mortos, os seus excrementos libertam uma fina poeira que, ao ser inalada, pode provocar alergias…

De facto, a exposição a determinadas proteínas que existem no corpo destes seres pode deflagrar alergias respiratórias, como a asma e a rinite alérgica, bem como dermatites alérgicas.

Exposições que se dão, sobretudo, através das vias respiratórias… Pois quando encontrados no meio ambiente, suspensos no ar com as poeiras, esses dejetos são inalados, dando origem a reações de hipersensibilidade.

De acordo com estudos realizados a nível internacional, “a concentração de 100 ácaros por grama de poeira já é o bastante para provocar sensibilização, embora não gere crise…” Mas quando esta concentração aumenta, designadamente para 500 destes seres por grama de poeira, isto já despoleta crises alérgicas, com sintomas tais como falta de ar.

banner-airfree-ptPowered by Rock Convert