ALERGIA E ASMA: UM DUPLO PROBLEMA!

As alergias e a asma ocorrem frequentemente em simultâneo: os indivíduos com rinite alérgica, eczema atópico, alergia alimentar ou com história familiar de asma estão em risco de desenvolverem asma.

d1191419fcfd1224355f0e6814f20aa0ae3eac0a793e5d1b51pimgpsh_fullsize_distr

A asma é uma das doenças crónicas mais comuns. Atinge 300 milhões de pessoas de todas as idades, em todo o mundo, e é um sério problema de saúde pública, afetando profundamente o desempenho escolar e profissional dos doentes. A sua prevalência e impacto estão a aumentar, sobretudo nas áreas urbanas, associados provavelmente a alterações ambientais e do estilo de vida.

A realização de testes para investigação de alergia, seguidos de um plano de tratamento adequado, são recomendados para um melhor controlo da asma.

 

A asma alérgica é uma doença controlável.

 

A alergia é um problema de saúde pública de proporções pandémicas, que afeta mais de 150 milhões de pessoas na Europa. De acordo com especialistas, uma em cada três crianças é alérgica e estima-se que dentro de 10 anos a doença afete mais de 50% de todos os europeus.

 

Uma campanha de sensibilização realizada pela Academia Europeia de Alergologia e Imunologia Clínica (EAACI), ao longo de 2014/2015 (www.bewareofallergy.com) deu a conhecer ao público de que forma a alergia pode afetar a qualidade de vida, quais os custos e gravidade destas doenças e quão importante é um diagnóstico precoce para melhorar o seu prognóstico.

Ao focar-se na educação como forma de prevenção alérgica, assim como no diagnóstico precoce e em medidas eficazes de controlo, a EAACI espera poder dar continuidade à ajuda de doentes e as suas famílias no controlo da alergia, melhorar a qualidade de vida e aumentar os recursos disponibilizados pela sociedade para controlar a epidemia alérgica.

 

Essa campanha salientou também os diferentes aspetos das alergias – asma, alergia alimentar e anafilaxia, rinite alérgica, imunoterapia com alergénios e alergia cutânea – focando na asma como doença alérgica principal, com o objetivo de sublinhar quão próximas estão a asma e a alergia.

 

Causas e números

 

Com um aumento previsto da população urbana a nível mundial para 2025, estima-se que mais 100 milhões de pessoas sofrerão de asma, a acrescentar ao número já existente (300 milhões) de doentes asmáticos. Nesse ano, será a doença crónica mais prevalente da infância e uma das maiores causas dos custos com a saúde.

 

As suas causas não são bem conhecidas. No entanto, os doentes com rinite alérgica, eczema atópico, alergia alimentar e com história familiar de asma têm maior risco de vir a desenvolvê-la Esta é também a opinião da Comissão Europeia: “Em muitos doentes, a asma parece ser uma reação alérgica a substâncias inaladas através do ar, como faneras de animais, pólenes, ácaros ou baratas”.

 

Mas há muitos outros argumentos que apoiam a relação entre asma e alergia:

 

– Muitos doentes reconhecem desencadeantes alérgicos para a sua asma, tais como a exposição a ácaros domésticos, animais ou fungos.

– O eczema atópico é frequentemente o primeiro sinal de que uma criança tem um fenótipo atópico e que pode desenvolver rinite ou asma quando crescer.

– A sibilância na criança evolui frequentemente para asma se estiver presente um fundo alérgico.

– 75% dos adultos com asma tem rinite alérgica.

– 50% dos doentes com rinite alérgica têm asma.

– O tratamento da rinite pode melhorar os sintomas de asma, em especial a tosse.

 

Como identificar se sofre de asma?

 

Pode ter asma se tiver episódios recorrentes de tosse, sibilância (pieira), falta de ar e sensação de aperto torácico. As queixas podem ser desencadeadas por constipações, exposição a fumo do tabaco, poluição e/ou exposição a alérgenos, como ácaros, pólenes, animais, fungos, etc. Porque os alérgenos são ubíquos, é importante que os doentes com asma alérgica identifiquem os desencadeantes e aprendam a prevenir as crises.

 

Reconhecer e tratar a doença…

 

O objetivo do tratamento é o controlo total da asma. Uma asma controlada significa ausência de sintomas diurnos ou noturnos, ausência de faltas à escola ou ao trabalho, boa capacidade para realizar exercício físico e ausência de crises com necessidade de recurso ao hospital. O importante é reconhecer e tratar a doença.

A maioria dos doentes asmáticos pode estar controlada com medidas ambientais e medicação. Muitos tratamentos eficazes para a asma estão disponíveis no mercado, mas o controlo dos fatores desencadeantes alérgicos e das doenças associadas, como a rinite alérgica, é um passo essencial para o controlo da asma.

 

SOBRE A EAACI

A Academia Europeia de Alergologia e Imunologia Clínica (EAACI) é uma organização não lucrativa, ativa na área das doenças alérgicas e imunológicas como a asma, rinite, eczema, alergia ocupacional, alergia alimentar, alergia a fármacos e anafilaxia. Fundada em 1956, em Florença, tornou-se na maior associação médica na Europa nas áreas da alergia e imunologia clínica. Inclui mais de 8.000 membros de 121 países, assim como 47 sociedades nacionais de alergia (www.eaaci.org).

 

SOBRE A SPAIC

Fundada a 10 de julho de 1950, como Sociedade Portuguesa de Alergia, a SPAIC é a maior associação científica nacional que agrega especialistas médicos, investigadores e técnicos dedicados ao estudo da alergia, asma e imunologia clínica, organizando regularmente uma gama alargada de programas para formação e desenvolvimento nessas áreas (www.spaic.pt).

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s