O “REALISMO MÁGICO” DE DAR SANGUE…

“O Sangue Liga-nos a Todos” é o lema proposto pela OMS para assinalar o Dia Mundial do Dador de Sangue, que se comemora no próximo dia 14 de junho.

WHO - Blood Connect us All 1

 E a Organização Mundial de Saúde pretende que, mais do que um Dia, a nova Campanha – cuja mensagem principal é “Partilhe Vida, Dê Sangue” – tenha uma abrangência que perdure muito para além do assinalar da data…

Segundo Paulo Benvindo, técnico superior do Instituto Português do Sangue e da Transplantação, IP, a OMS está a realizar uma Campanha verdadeiramente global, que vai ser adaptada para 7 línguas diferentes, pretendendo-se assim chegar de forma mais próxima aos vários países.

Enquanto isto não acontece, encontramos no site da OMS um mundo de informação sobre esta temática de vital importância para a Vida.

Confirme em: http://www.who.int/campaigns/world-blood-donor-day/2016/en/

A presente campanha foi realizada em colaboração com a congénere dos Países Baixos (Sanquin) e está criativamente fundada no “realismo mágico”…

Paulo Benvindo explica:

“Nos spots apresentados podemos observar um mundo diverso, mas onde todos somos iguais na potencial necessidade de componentes sanguíneos. E podemos também seguir os agradecimentos, simultaneamente expressivos e implícitos de todos cujas vidas foram salvas graças à dádiva benévola de Sangue.”

WHO - Blood Connect us All 2

Portugal: um pouco abaixo da média europeia…

 O IPST,IP comemora uma vez mais o Dia Mundial de Dador de Sangue.

No próximo dia 14 de junho, a partir das 10h da manhã, no Auditório Tomé Pinto (Infarmed), em Lisboa, estarão presentes representantes das Federações de Dadores de Sangue, para debates e trocas de experiências…

Perguntamos a Paulo Benvindo se é satisfatória, no nosso País, a dádiva de sangue…

“A média portuguesa está, em termos de Europa, um pouco abaixo da média europeia, que é de 2 dádivas ao ano, por dador.

Isto explica-se em parte porque o País está a envelhecer e os adultos jovens, que vivem muito num universo online, nem sempre estão motivados para este tipo de solidariedade…

Já nos países europeus que estiveram envolvidos em guerras há uma maior consciência para a necessidade da dádiva benévola de sangue.”

 

Sabia que…

– De 108 milhões de colheitas anuais de sangue a nível mundial, metade são de países ricos. Por isso há muito a fazer para modificar esta estatística, melhorando a realidade que se vive nos países mais pobres e desprotegidos.

– Um dos grandes objetivos da OMS a nível global é que a dádiva de sangue seja totalmente voluntária e não remunerada. Esta é uma meta a atingir até 2020!

 

CONTACTO ÚTIL:

IPST, IP – Serviços centrais – Tel.: 21 006 30 46;

Email: diripst@ipst.min-saude.pt

http://ipst.pt

 

 

TESTEMUNHO DE UMA DADORA…

“A primeira vez foi num feriado de 13 de junho, tinha eu 20 anos…”, recordou Vânia Filipa referindo-se à altura em que pela primeira vez deu sangue.

A partir daí esta cabeleireira, hoje com 38 anos, nunca mais parou e dá sangue tres vezes ao ano, tantas quantas são permitidas às mulheres.

 

Conta que aconteceu por acaso…

“Estávamos um grupo de amigos a tomar café e a certa altura alguém pergunta o que haveríamos de fazer naquele dia…

‘Vocês não sei – disse uma amiga nossa -, ‘eu vou dar sangue’. Ela era um pouco mais velha e já era dadora há algum tempo. Ficámos a olhar uns para os outros e dissemos ‘porque não’?

Lembro que erámos uns 8, enchemos dois carros e lá fomos todos para o Amadora Sintra…”

Um pequeno inquérito e a análise a uma amostra de sangue demonstraram que estava tudo Ok e assim se iniciou Vânia no ato solidário de dar sangue.

Vânia e os amigos. E recorda que se sentiram todos muito bem consigo mesmos.

Uma pausa para almoçar no próprio hospital e recuperar forças, e à noite lá seguiram, com alegria redobrada, para as festas dos Santos Populares…

 

Agradecimentos:

Paulo Benvindo, Técnico Superior IPST, IP

Texto:

MLG – Comunicação e Serviços

 

***

 

SOBRE ESTE DIA, PERGUNTAS E RESPOSTAS

A celebração do Dia Mundial do Dador de Sangue tem como objetivo aumentar a consciência da necessidade de componentes sanguíneos seguros, bem como agradecer a todos os dadores as suas dádivas, reconhecendo o seu contributo em salvar vidas e em melhorar a saúde e qualidade de vida de muitos doentes.

De acordo com a OMS, 92 milhões de pessoas dão sangue anualmente, sendo que 45% destes dadores têm menos de 25 anos e 40% são mulheres. A OMS quer expandir este universo, encorajando outras pessoas a darem sangue.

 

Quem pode ser dador de sangue?

– Indivíduos que tiverem entre 18 e 65 anos de idade;

– Que pesem mais de 50 quilos;

– Que gozem de boa saúde e tenham hábitos de vida saudáveis.

 

Onde dar sangue?

– Nos Centros de Sangue e Transplantação de Lisboa, Porto e Coimbra;

– Nos locais onde se realizam colheitas de sangue móveis;

– Nos serviços de imunohemoterapia hospitalares.

 

O que fazer e o que não fazer depois de doar sangue?

– Devem ingerir-se líquidos em abundância.

– Não se pode conduzir por 30 minutos.

– Não se pode fumar por duas horas.

– Não se pode beber álcool por 12 horas.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s