ALÉRGICOS & ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO…

Sofre com alergias? E fica na dúvida sobre se pode ou não ter
em casa um animal de estimação?

Entre os que optam por abdicar deste prazer e quem afirme que nem todas as pessoas com asma ou rinite vão aumentar os seus problemas perto de cães e gatos, há controvérsia… E como cada caso é um caso, sendo impossível emitir um parecer que sirva igualmente para todos, nada melhor do que consultar um especialista.

Entretanto, e na sequência da época de alergias outonais que agora se iniciou, vamos hoje falar um pouco do que representa ter em casa estes pet’s, quando os seus donos ou outros familiares sofrem de alergias.

Amigos fiéis, todos os dias!
Assinalou-se no passado dia 4 o Dia Mundial dos Animais, comemorado todos os anos nesta data, originalmente escolhida para a festa de São Francisco de Assis, um amante da natureza e padroeiro dos animais e do meio ambiente.
No entanto, cães e gatos, os mais comuns animais de estimação, estão sempre presentes, todos os dias do ano na vida dos seus donos, com laços de ternura e dedicação mútua…
Mas estes companheiros (especialmente os de pelo longo) acumulam polenes, ácaros, mofo e bactérias nos pelos, trazendo-os para dentro de casa. Eles própros, aliás, podem também ser sensíveis a estes aeroalérgenos e sofrerem com infeções respiratórias nos meses mais húmidos do outono e inverno.

Assim como em todas as reações alérgicas, também as alergias a animais de estimação são reações exageradas do sistema imunológico a alguma substância. No caso concreto, a reação é deflagrada pela inalação de proteínas presentes em secreções, como as das glândulas sebáceas, da saliva e da pele do animal. São os pelos ou penas dos animais que carregam esses alérgenos, os quais podem ficar longos períodos de tempo no ar, e ainda se instalam nas nossas roupas.

Mas será que é fácil abdicar de um “amiguinho peludo”, ou mesmo nem pensar adquiri-lo para não causar ou agravar problemas de alergia a um membro da família, designadamente se houver crianças em casa?… Não é.

A importância do pet na vida da criança…
Sabe-se que os animais de estimação são de grande importância para o melhor desenvolvimento da criança, designadamente no capítulo dos afetos e da responsabilidade.
O que tem sido avançado pelos especialistas, mas sem o poder de certeza absoluta, é que ter um cão ou gato também pode evitar que a criança desenvolva alergias…

E esta ideia de que os pet’s trazem um benefício para o sistema imunitário vem de uma hipótese controversa que já teve o seu auge: a “hipótese da higiene” (aliás mencionada no nosso blogue há algum tempo) e que defende a tese de que o aumento da prevalência da alergia nos últimos anos pode ser atribuído ao excesso de higiene no mundo moderno, incluindo o menor contato de crianças e adultos com animais e com a natureza.

Isso explicaria, pelo menos em parte, que por causa desses altos padrões de limpeza, microrganismos tais como bactérias, seriam impedidos de fortalecer o sistema imunitário e, portanto, de combater infeções e alergias.
Estudos não são, porém, conclusivos, já que a maioria das crianças está sempre exposta a alérgenos de cachorros e gatos – pelos e saliva que se espalham pelo ar e se “alojam” nas roupas -, e isto quer exista ou não um animal em casa.

TER UM CÃO…
Inegavelmente, são muitas as vantagens de ter um cão em casa, começando logo pela excelente companhia para crianças e adultos (em especial idosos); pela interação dos seus donos, melhorando o contato social; pelo estímulo que representam para caminhadas e ações ao ar livre; e, enfim, pela sua grande capacidade de amar e proteger os seus donos.

As desvantagens são o facto de a sua presença poder contribuir para o aumento de ácaros na residência, já que o alimento preferido desses aracnídeos é a descamação da pele, além de partículas que podem tornar-se alergénicas, ou seja, provocadoras de alergias.
É por isso que cerca de 30% dos portadores de asma e rinite alérgica podem ter crises desencadeadas pelo contato com cães.
Assim, alguns cuidados são essenciais para a convivência saudável com estes animais:
Conselhos:
– Se mora numa casa, habitue o seu cão a ficar no exterior. E num apartamento tente treiná-lo para que circule preferencialmente fora da área social.
– Não o deixe subir a sofás e camas. Nas lojas da especialidade tem ao dispor vários tipos de sofás e colchões próprios para cães, conforme o seu tamanho. Ensine-o que é lá o seu local de relax…
– Areje e limpe a casa com maior periodicidade e facilite a limpeza evitando alcatifas, tapetes e carpetes, que acumulam mais pó.
– Escove-o periodicamente, se possível na varanda ou no exterior da casa, e dê-lhe banho pelo menos uma vez por semana.

… OU TER UM GATO
No caso dos gatos, as “reticências“ são maiores e o deflagrar de alergias está associado mais diretamente ao facto de que o alérgeno presente nas glândulas sebáceas, pele e saliva, é mais persistente e facilmente transportado entre os ambientes através de roupas e objetos. Além disso, como no caso dos cachorros, o pelo desses animais acumula fungos, ácaros e pólen, que podem desencadear respostas alérgicas.

Entretanto, como os gatos estão sempre a lamber-se os alérgenos espalham-se mais pela casa e permanecem no ar durante horas e mesmo dias. Se houver um membro da família com rinite alérgica ou asma é fundamental procurar um especialista e fazer o teste para saber se é alérgico a gatos, já que vários estudos mostram existir uma forte relação entre crises asmáticas e a presença destes animais em casa..

Algumas medidas podem auxiliar na redução dos alérgenos de gatos no lar. Banhos de periodicidade no mínimo semanal, e não permitir que o bichano fique no seu quarto e muito menos na sua cama, são regras a seguir… – e que mesmo assim podem não ser, por si só, suficientes.

ALÉRGENOS DE ANIMAIS E AIRFREE
Possuir animais de estimação é mais um motivo para purificar o melhor possível o ar que respira em casa. Antes de pensar em abdicar do seu pet recorra a um purificador de ar, que se revela até 99% eficiente a destruir alérgenos dos animais em casa, garantindo melhor qualidade de vida para o bichinho e o seu dono.

Ao reduzirem drasticamente os alérgenos do ar por incineração dos microrganismos, o ar contaminado é arrastado para o núcleo cerâmico do aparelho e destruído a altas temperaturas.
No caso dos animais domésticos, algumas partículas orgânicas que causam o cheiro característico dos animais também são destruídas por esse núcleo de cerâmica, mantendo o ambiente sem um odor desagradável.

IMG_1541

Esta entrada foi publicada em Asma. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s