10.000 BOMBEIROS: LUTAM, REIVINDICAM… COMEMORAM!

Desde o início deste ano até 31 de Agosto registaram-se em território nacional 14.374 incêndios florestais e arderam quase 54 mil hectares.
Elevados prejuízos, nefasta produção de CO2 e um mundo de trabalho para os nossos Bombeiros…

bombeiros

Segundo página da Internet da ANPC – Autoridade Nacional de Proteção Civil, até às 19,45h de ontem registavam-se no País 49 incêndios rurais, com 818 operacionais em campo. Oitocentos e dezoito homens e mulheres que, só num dia, arriscaram a vida numa profissão ironicamente ainda não considerada “de risco”, não obstante os muitos bombeiros que têm sucumbido nos últimos anos, ao serviço das suas populações…
Vem esta reflexão a propósito da data de 11 de Setembro, que assinala o Dia Nacional do Bombeiro Profissional, já na sua 8ª edição.
As comemorações decorrem pelas 16 horas desta 6ª feira, na Vila de Coruche, Largo do Rossio, onde centenas de bombeiros profissionais de todo o País (este ano, pela primeira vez, também com os Açores representados) vão dizer “presente” e participar na formatura com as bandeiras e guiões dos seus corpos de bombeiros.
Bombeiros que estejam de folga, note-se… – ou seja, sem prejuízo da sua normal atividade, conforme faz questão de salientar a Direção da ANBP – Associação Nacional de Bombeiros Profissionais.
A cerimónia, que conta com a presença da Ministra da Administração Interna, Anabela Rodrigues, tem como objetivo homenagear todos os que escolheram esta profissão para ajudar os outros, dedicando as suas vidas ao serviço das populações. Homenagem também, muito sentida, aos bombeiros que têm falecido ao serviço de uma profissão de incomensurável importância na proteção de pessoas e seus bens e do nosso património florestal.

À espera do reconhecimento como profissão de risco
Dados fornecidos pela Direção da ANBP dão conta da existência em Portugal de 10 mil bombeiros profissionais, entre bombeiros sapadores, municipais, profissionais das associações humanitárias, força especial de bombeiros e bombeiros privativos.
Diz-nos esta Direção: “Uma das principais lutas dos bombeiros profissionais e de ANBP/SNBP que os representam tem sido a reivindicação de um estatuto profissional, o reconhecimento da profissão como sendo de risco e a regulamentação da carreira”.
Entretanto, lamentam que a falta de resposta dos governantes às dificuldades apresentadas pelos bombeiros profissionais tenha já levado à “emigração de muitos que procuram melhores condições de vida noutros países, onde nem sempre desempenham a função para a qual têm formação e qualificação.”

QUERCUS: “GESTÃO SUSTENTÁVEL DA FLORESTA”
Mas falar de bombeiros é também, inevitavelmente, falar das nossas florestas, tão duramente “castigadas” nos últimos anos.
Em comunicado enviado à Imprensa a Quercus lembra que tem vindo a alertar os sucessivos Governos para a necessidade de serem aprovadas políticas públicas de longo prazo, promotoras da gestão sustentável da floresta.
Segundo esta Associação, os incêndios florestais ou rurais são considerados o maior problema ambiental no nosso País e urgem as “medidas promotoras da gestão sustentável da floresta e do espaço rural, que tornem o território mais resiliente aos incêndios e que simultaneamente dinamizem a economia local com a presença de pessoas no interior do País.”

Dados atuais e perspetivas futuras…
Segundo o relatório da Análise das Causas do Incêndios Florestais (2003-2013) do ICNF, os comportamentos negligentes são os responsáveis pelo maior número de ocorrências de incêndios com causa apurada.
– 2% natural (trovoadas);
– 42% intencional;
– 56% negligentes.

Os dados atuais referem que se registaram este ano, até final de Julho, mais 7% de ocorrências entre incêndios florestais e fogachos (< 1 hectare) do que na década anterior, o que revela a necessidade de se apostar fortemente na sensibilização para os riscos do uso do fogo.
Entretanto, e segundo avaliação do Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas (IPCC), nos países do Sul da Europa e da Região Mediterrânica as perspetivas para 2100 são dramáticas: menos chuvas mas mais concentradas no tempo e associadas a cheias, aumento dos incêndios florestais e uma enorme perda de biodiversidade. Existem diversos impactes das alterações climáticas, decorrentes do aumento da temperatura e ventos, mas também ao nível do stress hídrico, que vão provocar uma pressão crescente em ecossistemas florestais que não estejam adaptados, sobretudo em zonas montanhosas com maior aridez.
E a Associação Nacional de Conservação da Natureza alerta para a urgência de novas políticas florestais que evitem “insistir nos mesmos erros, ano após ano”… Afirmam: “Os 80 milhões de euros gastos só este ano no combate a incêndios dariam para plantar pelo menos 20 mil hectares de várias espécies de carvalhos e outras folhosas autóctones menos combustíveis e que ajudariam a travar a progressão dos incêndios.”

INCÊNDIOS E O AQUECIMENTO GLOBAL DO PLANETA
Segundo a Naturlink – O Portal da Natureza, um dos efeitos diretos de um incêndio é a produção de gases derivados da combustão. Muito embora a composição desses gases seja relativamente complexa, eles são sobretudo compostos por vapor de água e por dióxido de carbono (CO2).

arganil

Este efeito dos incêndios na atmosfera tem vindo a ganhar cada vez maior importância, em virtude do aquecimento global do planeta como consequência da elevada produção de CO2.
A contribuição dos incêndios para o aumento dos níveis de CO2. na atmosfera é enorme, não só devido a incêndios naturais ou acidentais, mas também em boa parte devido a práticas tradicionais com fins agrícolas e pastoris, que se verificam ainda um pouco por todo o Mundo. Interessa referir que um incêndio implica a perda, para a atmosfera, de quantidades consideráveis de azoto, o que tem um impacto importante do ponto de vista da nutrição das plantas.

ORIGEM DO DIA DO BOMBEIRO
A escolha de 11 de setembro para a comemoração deste Dia tem origem nos atentados terroristas às Torres Gémeas em Nova Iorque, em 2001.
A primeira celebração do Dia Nacional do Bombeiro Profissional teve lugar em Setúbal, em 2008. Desde então todos os anos a data é assinalada, sendo escolhida uma localidade diferente onde decorrem as cerimónias de homenagem aos bombeiros e respetivas corporações, destacando o seu trabalho e contributo na proteção de pessoas e bens e na prestação de cuidados e serviços de apoio.

Agradecimentos:
– ANBP – Associação Nacional de Bombeiros Profissionais
– Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza
– Naturlink – O Portal da Natureza

Coordenação:
MLG – Comunicação e Serviços

Esta entrada foi publicada em Asma. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s